Document details

Regional input-output tables and models : interregional trade estimation and in...

Author(s): Sargento, Ana Lúcia Marto cv logo 1

Date: 2009

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10316/10120

Origin: Estudo Geral - Universidade de Coimbra

Subject(s): Economia regional.; Análise input-output.


Description
The present research concerns the study of input-output modelling and input-output table construction, when applied at the regional level. Input-output models, at the national or regional level, are known as a fundamental tool for economic analysis. Yet, in order to apply such models, the researcher must have access to the correspondent input-output tables. National-level tables are currently published by the national statistical offices according to well-defined conventions. The same, however, cannot be said about regional tables which are not provided as a rule by official statistics organisms. Being so, a great part of input-output research is still dedicated to the study of techniques for input-output table gathering. This dissertation is, in such context, divided into three chapters. The first one is mainly theoretical, aiming to review the basic principles underlying input-output analysis at the regional level. The second and third chapters constitute the research’s practical contribution, focused on two major issues, respectively: 1) interregional trade estimation and 2) input-output modelling on the basis of total-use rectangular table at purchasers’ prices. In most countries, survey-based interregional trade data does not exist. However, even when some simplifying assumptions are used in the model, a minimum amount of data on interregional trade is always necessary, in order for the model to succeed in capturing spillover and feedback effects caused by the interregional linkages. In order to evaluate the reasonability of using indirect interregional trade flows estimates, a comparison was made between alternative methodologies (with special focus on gravitational models), assessing the sensitivity of the model results. Such comparison allowed to conclude that the results of the input-output model are not greatly affected by the insertion of different trade flow values. Thus, the results obtained do not reject the reasonability of using indirect estimates for interregional trade, whenever survey-based data is unavailable. The official input-output tables are published on a total-use rectangular format, which is different from the lay-out upon which traditional input-output models were developed (domestic use symmetric tables). The objective here was to demonstrate the equivalence in the results of the input-output model between two alternative procedures: 1) to convert the available input-output table into a domestic-flow symmetric table at basic prices and then implement the input-output model; 2) to perform the direct modelling of the original table (the total-flow rectangular table at purchasers’ prices). It has been concluded that, when the same set of hypotheses is used, there is no advantage in making a previous transformation of the original tables into the symmetric format and a previous calculation of domestic flows, since the results of the model are exactly the same. O presente trabalho de investigação incide sobre modelos de input-output, a nível regional. Os modelos de input-output, ao nível nacional ou regional, são reconhecidos como uma ferramenta fundamental de análise económica. Contudo, para que tais modelos sejam aplicáveis, é necessário dispor dos quadros de input-output correspondentes. Actualmente, os quadros nacionais de input-output são publicados de forma regular pelos organismos de estatística oficiais de cada país, de acordo com convenções internacionais bem definidas. O mesmo não pode ser afirmado sobre os quadros regionais, que não fazem parte das publicações estatísticas oficiais. Sendo assim, uma boa parte da investigação na área do input-output recai ainda sobre as técnicas para a construção de quadros a nível regional. Neste contexto, a presente dissertação divide-se em três capítulos. O primeiro possui uma natureza substancialmente teórica, pretendendo fazer uma revisão dos princípios básicos subjacentes à análise input-output ao nível regional. O segundo e terceiro capítulos constituem o contributo prático da investigação, focando dois temas específicos: 1) estimação do comércio inter-regional e 2) modelização input-output baseada em quadros rectangulares de uso total, a preços de aquisição. Na maioria dos países não existem dados directos sobre o comércio inter-regional. No entanto, há um mínimo de informação sobre estes fluxos que é imprescindível, mesmo que no modelo sejam usadas algumas hipóteses simplificadoras. Sem essa informação, o modelo é incapaz de captar os efeitos de spillover (extravazamento) e de feedback (realimentação) causados pelas ligações inter-regionais. Com o intuito de avaliar a razoabilidade de usar estimativas indirectas para os fluxos de comércio inter-regional, foi feita uma comparação entre metodologias alternativas (com especial enfoque nos modelos gravitacionais), medindo a sensibilidade dos resultados do modelo. Esta comparação permitiu-nos concluir que os resultados do modelo input-output não são afectados em grande medida pela inserção de diferentes valores de fluxos de comércio. Assim, os resultados obtidos não rejeitam a razoabilidade de usar estimativas indirectas para o comércio inter-regional, sempre que não estejam disponíveis dados recolhidos directamente. Os quadros oficiais de input-output são publicados num formato rectangular, com fluxos de uso total, sendo por isso diferentes do molde tradicional sobre o qual foram desenvolvidos os modelos de input-output tradicionais (quadros simétricos com fluxos de uso doméstico). O objectivo aqui era o de demonstrar a equivalência nos resultados do modelo de input-output quando são aplicados dois procedimentos alternativos: 1) converter o quadro input-output publicado para um quadro simétrico de fluxos domésticos a preços de base e só depois implementar o modelo de input-output; 2) desenvolver o modelo directamente a partir do quadro original (o quadro rectangular de fluxos totais a preços de aquisição). Concluiu-se que, quando se utiliza o mesmo conjunto de hipóteses, não há qualquer vantagem em proceder a uma transformação prévia dos quadros originais para o formato simétrico a fluxos domésticos, dado que os resultados do modelo são exactamente os mesmos. Tese de doutoramento em Economia (Planeamento e Economia Regional) apresentada à Fac. Economia da Univ. Coimbra
Document Type Doctoral Thesis
Language English
Advisor(s) Ramos, Pedro; Hewings, Geoffrey
delicious logo  facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
degois logo
mendeley logo

    Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia