Document details

Convergências possíveis numa organização do sector agro-alimentar

Author(s): Cardoso, Carla Sofia Gaifém cv logo 1

Date: 2009

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10316/12159

Origin: Estudo Geral - Universidade de Coimbra

Subject(s): Equipa; Inovação; Liderança; Organizações; Sector Agro-alimentar


Description
A Teoria de West (1990), designada por Teoria dos 4 Factores (Participação na equipa, Objectivos da equipa, Apoio à inovação e Orientação para as tarefas) advoga que o trabalho de equipa e o clima de equipa orientado para a inovação são elementos essenciais para que, actualmente, as organizações atinjam e mantenham sucesso. Pensando na promoção deste sucesso, estudos e modelos na área do desenvolvimento de competências de gestão e de liderança apontam esta última como um dos factores de maior impacto no clima de equipa, isto é, nas percepções partilhadas pelos indivíduos que integram um grupo de trabalho próximo (Durham et al., 1997; Holpp, 2002; Whetten & Cameron, 2005; Sousa, 2006; Rangel, 2007). Tendo por base este quadro de referência, este trabalho pretendeu alcançar duas finalidades: disponibilizar um instrumento de avaliação do clima de equipa orientado para a inovação e contribuir para a compreensão da relação entre a percepção dos comportamentos de liderança e a percepção do clima de equipa orientado para a inovação. Nesta conjuntura, estruturámos seis objectivos de investigação: 1. Obter a versão portuguesa do TCI - Questionário de Clima de Equipa Orientado para a Inovação, cuja versão original é da autoria de Anderson e West (1994) 2. Rever a versão portuguesa do LBDQ (Forma XII) - Escala Descritiva do Comportamento dos Chefes, de Jesuíno, Soczka e Matoso (1985; versão original de Stgodill, 1963) 3. Caracterizar, ao nível individual e grupal, as percepções de clima de equipa orientado para a inovação na organização em estudo 4. Caracterizar, ao nível individual e grupal, as percepções de comportamentos de chefia na organização em estudo 5. Analisar, ao nível das equipas, as relações entre clima de equipa orientado para a inovação e comportamentos de chefia 6. Averiguar a variabilidade nas percepções de clima de equipa orientado para a inovação e das percepções dos comportamentos de chefia em função de variáveis sócio-demográficas e organizacionais Os dados foram recolhidos junto de 301 colaboradores de uma empresa portuguesa do sector agro-alimentar, agrupados em 20 equipas. Os instrumentos utilizados neste estudo foram: o Team Climate Inventory - TCI (Anderson & West; 1994) traduzido e adaptado propositadamente para esta investigação e designado por Questionário de Clima de Equipa Orientado para a Inovação; o Leader Behavior Description viii Questionnaire LBDQ – Form XII (Stogdill, 1963) traduzido para Escala Descritiva do Comportamento dos Chefes por Jesuíno, Soczka e Matoso (1985). Entre os principais resultados evidenciam-se as qualidades psicométricas da versão portuguesa do TCI (37 Itens) tendo sido encontrados 4 factores que explicam 51.37% da variância, correspondendo 14.51% ao factor 1 (Participação na equipa; α=.89), 13.21% ao factor 2 (Objectivos da equipa; α=.86), 13.16% ao factor 3 (Apoio à inovação; α=.90) e 10.49% ao factor 4 (Orientação para as tarefas; α=.85). Relativamente ao LBDQ, os estudos psicométricos permitiram obter uma versão mais reduzida do instrumento, com 16 itens, agrupados em três factores que explicam um total de 60.83% da variância, sendo 27.14% da variância explicada factor 1 (Consideração positiva; α=.90), 19.20% pelo factor 2 (Estruturação; α=.82) e 14.49% pelo factor 3 (Consideração negativa; α=.74). No que diz respeito às equipas em análise, e em relação ao clima de equipa orientado para a inovação, concluiu-se que a Participação na equipa está fortemente correlacionada com Apoio à inovação e com a Orientação para as tarefas e que quando aumenta a percepção do Apoio à inovação aumenta, também, a percepção acerca da clareza e partilha dos Objectivos da equipa e a percepção de Orientação para as tarefas. Em relação ao LBDQ, nas equipas consideradas, o nível de percepção da Estruturação e o nível de Consideração positiva tendem a variar no mesmo sentido. Verificou-se ainda que Consideração positiva e Consideração negativa, variam inversamente mas Consideração positiva e Estruturação variam no mesmo sentido. A partir dos resultados das correlações entre as dimensões dos dois instrumentos constatou-se que, ao nível das equipas, todas as dimensões do LBDQ se correlacionaram de forma expressiva e significativa com as dimensões de Participação na equipa e Orientação para as tarefas, sobressaindo uma forte associação da variável Estruturação (LBDQ) com três das quatro dimensões que operacionalizam, neste estudo, o clima de equipa orientado para inovação (TCI). Neste sentido, podemos dizer que quanto mais elevada é a Estruturação do líder percebida pelas equipas mais elevadas são as percepções de Orientação para as tarefas, de Participação na equipa e de Apoio à inovação no clima de equipa. A finalizar este trabalho apresentam-se várias considerações que auxiliam na interpretação e discussão dos resultados, permitindo-nos problematizar quer as relações entre as dimensões da liderança identificadas na medida de percepção dos comportamentos dos chefes (LBDQ), quer as encontradas entre as dimensões do clima de equipa orientado para a inovação (TCI), quer ainda entre liderança e clima de equipa orientado para a inovação. Tese de Mestrado em Ciências de Educação, especialização em Educação e Desenvolvimento Social, apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
Document Type Master Thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Pinheiro, Maria do Rosário Moura
delicious logo  facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
degois logo
mendeley logo

Related documents