Document details

Essays on Macroeconomics of Banking: Credit Frictions, Business Cycle and Bank ...

Author(s): Sousa, Maria Inês Ferreira Drumond cv logo 1

Date: 2009

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10216/7418

Origin: Repositório Aberto da Universidade do Porto

Subject(s): ECONOMIA; Porto


Description
The role of financial frictions in the propagation of exogenous shocks in the economy has been subject of much debate in the literature and of significant implications at the institutional level. The main issue at stake is whether financial frictions are able to transform small exogenous shocks to the economy into amplified and persistent movements in aggregate output. This dissertation fits in this line of research by centering its attention on how microeconomic structures, such as the bank funding structure and the relationship between banks and borrowers, interact with macroeconomic conditions. It contributes to clarify the role of bank capital and its regulatory environment in the propagation of business cycles, taking into account the current institutional changeover from Basel I to Basel II bank capital requirements. After Chapter 1, that brings together the theoretical literature on the relationship between bank capital and the business cycle with the literature on the regulatory capital requirements under the Basel Accords, Chapter 2 proposes a dynamic general equilibrium model in which banks are constrained by a risk-based capital requirement. Taking into account that bank capital is more expensive to raise than deposits, due to households' preferences for liquidity, and that this difference tends to widen (narrow) during a recession (expansion), we explore an additional channel through which the effects of exogenous shocks on real activity are amplified - the bank capital channel. This amplification effect is larger under Basel II than under Basel I rules. To evaluate more accurately the potential procyclical effects of Basel II, we embed, in Chapter 3, the bank-borrower relationship into a heterogeneous-agent model, in which firms have different access to bank credit depending on their credit risk. We conclude that, to the extent that it is more costly to hold bank capital during recessions and that the bank's loan portfolio is characterized by a significant fraction of highly leveraged and small firms, the introduction of Basel II accentuates the procyclical tendencies of banking, amplifying business cycle fluctuations. Economia DOCTORAL PROGRAMME IN ECONOMICS O papel das imperfeições do sistema financeiro na propagação de choques exógenos na economia tem sido tema de debate constante na literatura, com implicações significativas ao nível institucional. A principal questão em jogo é saber se as referidas imperfeições são capazes de transformar choques exógenos de pequena magnitude em movimentos amplificados e persistentes do produto agregado. Esta dissertação insere-se nesta linha de investigação analisando a forma como as estruturas microeconómicas, tais como a forma de financiamento dos bancos e a relação entre estes e os seus clientes, interagem com as condições macroeconómicas. Este trabalho contribui para clarificar o papel do capital dos bancos e da sua regulação na propagação dos ciclos económicos, tendo em conta a presente alteração nos requisitos mínimos de capital proposta pelo Acordo de Basileia II. Após o Capítulo 1, que articula a literatura teórica sobre a relação entre o capital dos bancos e os ciclos económicos com a literatura sobre os requisitos de capital exigidos pelos Acordos de Basileia, o Capítulo 2 propõe um modelo dinâmico de equilíbrio geral no qual os bancos estão sujeitos a requisitos mínimos de capital ajustados pelo risco. Tendo em conta que a emissão de capital pelos bancos é mais onerosa do que os depósitos, devido à preferência das famílias por liquidez, e que esta diferença de custo tende a aumentar (diminuir) durante uma recessão (expansão), exploramos, neste capítulo, um canal adicional através do qual os efeitos dos choques exógenos na actividade económica são amplificados o bank capital channel. Este efeito de amplificação é mais forte quando introduzimos as regras propostas por Basileia II (por oposição a Basileia I). Para avaliar com mais exactidão os potenciais efeitos pró-cíclicos de Basileia II, integramos, no Capítulo 3, a relação entre o banco e as empresas às quais este empresta num modelo de agentes heterogéneos, de acordo com o qual as condições de acesso ao crédito por parte de cada uma dessas empresas dependem do seu risco de crédito. Este modelo permite-nos concluir que, na medida em que (i) é mais dispendioso deter capital dos bancos durante uma recessão e (ii) o portfolio do banco é caracterizado por uma fracção significativa de pequenas empresas fortemente dependentes do crédito bancário, a introdução de Basileia II acentua as tendências pró-cíclicas do sistema bancário, amplificando as flutuações dos ciclos económicos.
Document Type Doctoral Thesis
Language Portuguese
delicious logo  facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
degois logo
mendeley logo