Document details

O esteriótipo dos espanhóis e dos portugueses no seio dos enfermeiros

Author(s): Varela, Vitor Manuel Leão Batista cv logo 1

Date: 1996

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.12/1010

Origin: Repositório do ISPA - Instituto Universitário

Subject(s): Psicologia da saúde; Estratégias de coping; Cancro da mama; Health psychology; Coping strategies; Breast neoplasms


Description
O presente Estudo, têm como objectivos, analisar o Autoesteriótipo de uma amostra dos Enfermeiros enquanto Profissionais de Saúde, analisar o Autoesteriótipo de uma amostra dos Enfermeiros enquanto Portugueses, analisar o Esteriótipo de uma amostra de Enfermeiros em relação aos Profissionais de Saúde Espanhois e analisar o Esteriótipo de uma amostra de Enfermeiros em relação aos Espanhois. Os Estudos anteriores demonstraram que existe uma certa diferenciação em termos de grau de positividade/negatividade Nacional. Tentamos encontrar uma separação que já tinha dado "frutos" noutros Estudos que era a separação Norte/Sul e outra Litoral/Interior-Fronteira para maximinizar as hipóteses de diferenciação entre os grupos. Foram definidos três níveis geográficos; Porto (Litoral Norte); Lisboa (Litoral Sul) e Eivas (Interior Fronteira), ou seja, uma amostra do grupo dos Enfermeiros em três regiões do País, consideradas importantes em termos de diferenciação Social, Politica e Económica. O número de sujeitos na amostra foi de 105, distribuídos por um plano em zonas geográficas como mostra o quadro seguinte. Elaboramos um questionário, onde tinhamos vários objectivos, sendo um deles, fazer a avaliação de contacto através de perguntas preliminares, para tentar perceber até que ponto de onde e como é que tinham surgido nos últimos meses, informações sobre Espanha, ou seja a Análise do Contacto Percebido. Existem várias metodologias para perceber o conteúdo do Esteriótipo. Aquilo que nos interessava essencialmente era criar duas situações. Considerar basicamente no nosso questionário as duas grandes formas de tratarmos esta questão: a) uma que era a questão aberta Possibilitamos aos sujeitos, eles próprios fazerem uma atribuição, o mais possível aberta, das características do outro grupo e do seu grupo, através da Introspecção Focalizada (questões abertas), obtendo também a positividade, negatividade pedindo às pessoas para avaliar a positividade, negatividade de cada um dos atributos gerados. b) outra que era a questão fechada Aí, através de uma Grelha de Adjectivos requeria-se a avaliação dos grupos pelos sujeitos de modo a obter o Autoesteriótipo e o Esteriótipo. Na última década os Psicólogos Sociais Portugueses dedicaram grande extenção do seu Estudo para identificarem os Autoesteriótipos dos Portugueses enquanto Portugueses e identificarem a Imagem ou Esteriotipo dos Espanhois. Os resultados dessas investigações demonstraram que basicamente as estruturas das Identidades Sociais Portuguesas e portanto o Esteriotipo dos Espanhois, articula-se e pode ser compreendido à luz da Teoria da Identidade Social de Tajfel, ou seja, haveria uma positividade da Autoimagem dos Portugueses que era acompanhada de uma maior negatividade ou menor negatividade da imagem dos Espanhois, ademais esses mesmos Estudos de Palma Oliveira, Garcia Marques e Correia Jesuíno (1992 ), encontravam uma diferenciação importante a nível de regiões, ou seja, haveria uma diferenciação na positividade, negatividade desses Esteriótipos, conforme se tratasse de amostras recolhidas no "grande sul" e no "grande norte" ou mais próximo das fronteiras. Este Estudo pretende continuar a orientação dos anteriores, mas com delimitação especifica no grupo de análise, não nos interessa a população em geral, mas interessa-nos apenas focalizar os Profissionais de Saúde, nomeadamente a nível dos Enfermeiros, conservando e utilizando a mesma diferenciação por regiões já utilizada nalguns Estudos referidos. Este Estudo é importante em dois níveis completamente diferentes, por um lado para tentar perceber até que ponto existe ou não consistência nos conteúdos esteriótipicos da última década (tal como existe nos trabalhos Americanos que tentam investigar a consistência dos Esteriótipos ao longo das décadas, para perceber a evolução dos Esteriótipos ). Este Estudo é importante para investigar as possíveis evoluções do conteúdo do Esteriotipo tal como será importante perceber até que ponto um grupo de profissionais específicos, acompanham a tendência geral manifestada a nível da população geral como um todo. Ademais este Estudo possui também uma particularidade e uma novidade em relação aos anteriores, essa novidade advém de investigarmos Esteriótipos e Auto esteriótipo Profissionais, ou seja, interessava-nos perceber até que ponto os Profissionais de Saúde Portugueses possuíam de si próprios uma Identidade positiva, uma Imagem positiva. Investigamos o conteúdo do Autoesteriótipo dos Profissionais de Saúde, enquanto Profissionais de Saúde Portugueses. Por último, isto fornecia-nos a oportunidade de testar uma importante preposição teórica realizada por alguns Psicólogos Sociais Europeus, por exemplo Doise e Deschamps no final dos anos 70 que têm a ver com a existência ou não de categorização cruzada e diminuição de categorização peia existência de dois grupos de descrição, pelo que era necessário investigar até que ponto o efeito da categorização cruzada se verificava na medida em que neste caso nós iríamos investigar um Esteriótipo que são os Profissionais de Saúde Espanhóis onde existem duas categorizações e uma delas equivalente, definida pelos próprios sujeitos Portugueses que eram os Profissionais de Saúde, ou seja, era importante perceber até que ponto os fenómenos de categorização cruzada eram ou não perceptíveis. Em suma, era importante verificar a existência de categorização cruzada ( Profissionais de Saúde Espanhois ) ou seja, tentar investigar o conteúdo do Esteriótipo de um grupo que fosse definido como parcialmente como idêntico ao grupo de sujeitos ( Profissionais de Saúde ) e parcialmente como pertencendo a outro grupo ( Espanhois ). Este Estudo tenta testar se existe ou não diminuição da discriminação, neste caso diminuição da positividade neste contexto da categorização cruzada. Os resultados obtidos confirmam tendêncialmente as conclusões dos Estudos anteriores ou seja, existe uma positividade marcada do Autoesteriótipo dos Portugueses, tal como a diminuição dessa positividade quando estamos a compará-los com o Esteriótipo dos Espanhois. Em suma os nossos resultados, confirmam os resultados anteriores, o que indica a Teoria da Identidade Social de Tajfel como boa preditora e enquadradora das diferenças dos conteúdos dos Esteriótipos. No que diz respeito à categorização cruzada os resultados deste Estudo mostram inequivocamente que não existe propriamente uma diminuição da discriminação o que existe, é que os sujeitos consideram, quando avaliam os Profissionais de Saúde Espanhois não estão a avaliá-los enquanto Espanhois, mas sim enquanto Profissionais de Saúde. Isto significa e confirma a opinião daqueles que consideram que a categorização cruzada como fenómeno não têm razão psicológica para existir, mas o que existe sim é a consideração de uma ou outra das pertenças ao grupo como referência avaliativa. Pensamos ter conseguido com este Estudo, atingir os objectivos que nos proposemos, assim a delimitação e a consistência do Autoesteriótipo Nacional e a delimitação e a consistência do Esteriótipo dos Espanhois continua e é altamente consistente com os Estudos anteriores tal como a verificação da não existência da categorização cruzada, o que nos parece ser teóricamente relevante. Dissertação de Mestrado em Comportamento Organizacional
Document Type Master Thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Pereira, Orlindo Gouveia
delicious logo  facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
degois logo
mendeley logo