Document details

Qualidade da vinculação e ansiedade materna de separação nas crianças do pré-es...

Author(s): Oliveira, Carla S. V. Teixeira de cv logo 1

Date: 2003

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.12/741

Origin: Repositório do ISPA - Instituto Universitário

Subject(s): Psicologia educacional; Vinculação; Ansiedade de separação; Educação pré-escolar; Instrumentos; Educational psychology; Attachment behaviour; Separation anxiety; Preschool education; Instruments


Description
Com este estudo procurou testar-se a utilização de uma medida de avaliação da vinculação com uma base representativa, na população portuguesa, e relacioná-la com uma medida comportamental, bem como analisar a relação existente entre a ansiedade materna de separação e a qualidade da relação de vinculação, em cada uma destas dimensões. Este trabalho teve como amostra vinte e cinco crianças e respectivas mães, com uma média de idades de 40,88 meses e de 32,16 anos, respectivamente. Foi utilizado o Attachment Behavior Q-Set (Waters, 1987) para a avaliação da qualidade da vinculação, a Attachment Story Completion Task (Bretherton & Ridgeway, 1990) para avaliação das representações da qualidade da vinculação e ainda a Maternal Separation Anxiety Scale (Hock, McBride & Gnezda, 1989) na avaliação da ansiedade de separação materna. A análise estatística dos dados foi realizada em três momentos. Inicialmente foi realizada a análise referente aos dados do Attachment Behavior Q-Set, na qual e pela Análise Hierárquica de Clusters, identificámos três grupos de crianças relativamente aos critérios de Segurança e Dependência. Caracterizou-se o Grupo 1 como seguro e independente, o Grupo 2 como inseguro e independente e o Grupo 3 como inseguro e dependente. Seguidamente, procurou-se caracterizar o comportamento destes três grupos em cada uma das Escalas de Posada e Waters (1995) e recorrendo a uma análise de variância, foi possível verificar a existência de diferenças significativas entre os grupos em todas as escalas. O Grupo 1 (seguro e independente) e o Grupo 2 (inseguro e independente) apresentaram valores significativamente superiores ao Grupo 3 (inseguro e dependente) nas escalas de interacção Suave com a Mãe e na Interacção com Outros Adultos. No diz respeito às escalas de Proximidade à Mãe e Contacto Físico com a Mãe, o Grupo 1 (seguro e independente) e o Grupo 3 (inseguro e dependente) apresentaram valores significativamente superiores ao Grupo 2 (inseguro e independente). Num segundo momento, centrámo-nos na análise das narrativas das crianças, com vista à caracterização das suas representações da relação de vinculação, como seguras ou inseguras. Posteriormente, relacionámos estes dois grupos com os critérios de Segurança e de Dependência, e foi possível encontrar diferenças significativas entre os grupos, na dimensão da Segurança e nas escalas de Proximidade à Mãe e na escala de Contacto Físico com a Mãe, onde o Grupo 1 (representações seguras) obteve sempre valores significativamente superiores ao Grupo 2 (representações inseguras). Finalmente., o último momento de análise incidiu sobre os dados relativos à ansiedade materna de separação. Verificou-se a existência de uma correlação significativamente negativa entre a idade de inicio dos cuidados não maternos e sub-escala de Preocupações Acerca da Separação Provocada pelo Emprego, na globalidade da amostra. Em seguida, procurámos compreender de que forma a ansiedade materna de separação se relaciona com os dados da avaliação da vinculação pelo Attachment Behavior Q-Set e também pelo Attachment Story Completion Task, tendo em consideração os grupos previamente formados em cada uma das avaliações. No que respeita aos dados comportamentais, recolhidos pelo Attachment Behavior Q-Set, e recorrendo a uma análise Post Hoc, verificou-se a existência de valores significativamente superiores no Grupo 1 (seguro e independente) em relação aos Grupos 2 (inseguro e independente) e 3 (inseguro e independente), na sub-escala de Preocupações Acerca da Separação Provocada pelo Emprego. Quanto aos grupos formados com base na Attachment Story Completion Task, não se verificaram diferenças significativas em nenhuma das sub-escalas da Maternal Separation Anxiety Scale. Dissertação de Mestrado em Psicologia Educacional
Document Type Master Thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Veríssimo, Manuela
delicious logo  facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
degois logo
mendeley logo

Related documents