Document details

Novas abordagens para o rastreio do cancro do colo do útero e para a prática cl...

Author(s): Neto, Marta Costa cv logo 1

Date: 2009

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10451/1809

Origin: Repositório da Universidade de Lisboa

Subject(s): Biologia molecular; Papillomavírus humano; Cancro do colo do útero; Teses de mestrado


Description
Tese de mestrado, Biologia (Microbiologia Aplicada), 2009, Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências A infecção persistente por um dos 15 Vírus do Papiloma Humano (HPV) de alto risco é considerada um factor necessário, mas não suficiente, para o desenvolvimento do cancro do colo do útero. Nos últimos anos, tem-se assistido a uma intensa procura de novos métodos moleculares de diagnóstico que permitam diferenciar entre as mulheres cujas lesões vão progredir para carcinoma invasivo e aquelas cujas lesões regredirão espontaneamente. No presente trabalho, foram desenvolvidas e implementadas metodologias de PCR em tempo real para a quantificação da carga viral, o estudo do estado físico do genoma viral na célula hospedeira e a quantificação dos transcritos dos oncogenes virais do HPV 16 e 18, com vista à identificação de indicadores de prognóstico para o desenvolvimento do cancro do colo do útero. A quantificação do DNA do HPV 16 e 18 permitiu identificar uma correlação positiva entre a carga viral e a gravidade da lesão. O estudo do estado físico do DNA do HPV 16 e 18, embora não tenha permitido estabelecer uma relação prognóstica entre o estado físico do DNA viral e o tipo de lesão, permitiu constatar que a integração do DNA do HPV 16 é um acontecimento precoce e que as formas exclusivamente integradas do HPV 18 aumentam com a gravidade da lesão. A quantificação do RNAm do E7 do HPV 16 permitiu estabelecer uma associação positiva entre a expressão dos transcritos virais e o grau da lesão. No caso do HPV 18, o pequeno número de casos estudados não permitiu estabelecer uma correlação. De acordo com os resultados obtidos, para além da tipificação dos HPV de alto risco, a quantificação da carga viral poderá ser um importante biomarcador para a identificação precoce dos casos com maior probabilidade de progressão e desenvolvimento de carcinoma do colo do útero e lesões percursoras. Persistant infection with one of the 15 high-risk human papillomaviruses (HPV) is a necessary but insufficient cause of cervical cancer development. In the last few years, there has been an intense pursuit for new molecular diagnostic methods that allow the differentiation between women whose lesions are destined to progress to invasive carcinoma and those whose lesions will spontaneously regress. In the present study real-time PCR methodologies for viral load quantification, for the assessment of the physical status of HPV DNA in the host genome and for the quantification of viral oncogene transcripts of HPV 16 and 18, were developed and implemented, aiming at finding prognostic indicators for the development of cervical cancer. Although the study of HPV 16 and 18 physical did not allow the establishment of a prognostic association between viral DNA physical status and lesion grade, it did allow the conclusion that HPV 16 DNA integration is an early event and that HPV 18 integrated-only forms increased with lesion severity. HPV 16 E7 mRNA quantification allowed the determination of a positive correlation between the level of viral transcripts expression and lesion grade. In the case of HPV 18, due to small sample size, no correlation was established. According to the results obtained, viral load, in addition to high-risk HPV testing, could become an important biomarker for the early identification of cases with increased probability of progression and development of cervical carcinoma and precursor lesions.
Document Type Master Thesis
Advisor(s) Pista, Ângela Maria Chambel; Tenreiro, Rogério Paulo de Andrade
delicious logo  facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
degois logo
mendeley logo

Related documents