Document details

A identidade e o património negro no Brasil

Author(s): Abadia, Lília cv logo 1

Date: 2010

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10451/2259

Origin: Repositório da Universidade de Lisboa

Subject(s): Negros - Brasil; Identidade colectiva - Brasil; Racismo - Brasil; Política cultural - Brasil; Consciência de raça; Multiculturalismo - Brasil; Movimento Negro Unificado; Teses de mestrado - 2010


Description
Tese de mestrado, Ciências da Cultura, Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras, 2010 (Acesso restrito até 05-03-2011) Esta dissertação discute a noção de identidade negra no Brasil contemporâneo, conceito que se relaciona com o imaginário construído ao longo da história e consolidado nas práticas sociais. Sabe-se que os significados atribuídos ao património e à cultura sustentam as narrativas históricas que atribuem ‘legitimidade’ aos sentimentos de pertença. Nesta medida, a ‘cultura negra’ e as ideias de activismo negro expostas pelo pan-africanismo e pelo movimento da négritude, articulam-se na consolidação de um discurso de resistência e projecto que reporta a África. No Brasil, estas ideias propagam – se durante o Regime Militar, contrariando a propaganda do sistema sobre a identidade nacional’, baseada na ‘mestiçagem’ e na ‘democracia racial’. Os movimentos sociais negros contemporâneos alertam a sociedade para os mecanismos de dissimulação dos preconceitos existentes na ideologia que fundamenta a identidade brasileira e, ao mesmo tempo, propagam novas ideias e representações que vêm compondo o imaginário da identidade negra. Destaca-se no cenário nacional o Movimento Negro Unificado (MNU), que actua no país desde 1978. O MNU propõe combater o racismo, dissociando a imagem do ‘negro’ de estereótipos negativos, e por sua vez, associando-a aos vários momentos de protagonismo na história dos ‘negros’africanos e da diáspora. No entanto, as estratégias promovidas pela organização para alcançar seus objectivos levam à aceitação e recusa de estereótipos consolidados no senso comum. The subject of this dissertation is the concept of Black identity in contemporary Brazil and the way it relates with the nation wide imaginary, which has been built and consolidated throughout history via social practices. The meaning given to heritage and culture sustain the historical narratives that legitimate the sense of belongingness. Therefore, 'Black culture' and the ideas of Black activism exposed by Pan-Africanism and Négritude movement are articulated in order to consolidate a speech towards resistance and project that connect back to Africa. In Brazil, these ideas were disseminated during the Military Regime, going against the system's 'national identity' propaganda, based upon 'miscegenation' and 'racial democracy'. The contemporary Black social movements raise society awareness on processes that try to deceive the prejudice present in the ideology that grounds Brazilian identity and simultaneously spread new ideas and representations that build the Black identity imaginary. The Movimento Negro Unificado (Black Unified Movement), abbreviated as MNU, established in 1978, endeavors to fight racism through the detachment of the image of Black people from negative stereotypes and, in turn, associating it to the various moments of leadership in Black African and Diaspora history. Thus, the strategies promoted by the movement to achieve its goals lead to the acceptance and refusal of stereotypes engraved in popular imaginary.
Document Type Master Thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Henriques, Eduardo Brito,1969-
delicious logo  facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
degois logo
mendeley logo

    Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia