Document details

Cuidar de doentes em fim de vida : a percepção dos médicos de família

Author(s): Oliveira, José Eduardo Marques Teixeira de, 1975- cv logo 1

Date: 2010

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10451/4174

Origin: Repositório da Universidade de Lisboa

Subject(s): Cuidados paliativos; Doente terminal; Cuidadores; Família; Médicos de família; Teses de mestrado - 2011


Description
Tese de mestrado, Cuidados Paliativos, Faculdade de Medicina, Universidade de Lisboa, 2011 Enquadramento A maioria dos doentes em fim de vida necessita de cuidados médicos domiciliários. A experiência dos médicos de família portugueses em cuidar destes doentes é pouco conhecida. Objectivo Compreender a forma como os médicos de família percepcionam a experiência de cuidar de doentes em fim de vida e dos seus familiares. Métodos Foi realizado um estudo qualitativo através de entrevistas semi-estruturadas a uma amostra de oito médicos de família com experiência no acompanhamento de doentes em fim de vida. As entrevistas foram gravadas em áudio, transcritas e analisadas de acordo com os procedimentos da grounded theory. Resultados Emergiram quatro domínios a partir dos relatos dos médicos de família. Os factores de influência intrínsecos ao próprio médico para lidar com doentes em fim de vida relacionam- se com a formação em cuidados paliativos, a motivação pessoal e a relação com o doente e a família. Os factores de influência extrínsecos ao médico relacionam-se com as condições organizacionais, atitudes dos outros profissionais e condições sociofamiliares. Os médicos caracterizam a sua experiência descrevendo a percepção do desempenho pessoal, apreciação subjectiva e sentimentos pessoais suscitados pela experiência. A caracterização da experiência do doente e família relatada pelos médicos refere-se ao estado do doente, descrição das circunstâncias da sua morte e atitudes e percepções do doente e dos familiares. Conclusão A experiência de cuidar de doentes em fim de vida é vista pelos médicos de família como exigente, gratificante e determinada por um sistema complexo de condições pessoais, formativas, relacionais, estruturais e sociofamiliares. Os médicos de família podem melhorar os cuidados aos doentes em fim de vida através da formação pessoal em cuidados paliativos, da articulação com enfermeiros e médicos hospitalares, da disponibilidade de recursos humanos, materiais e tempo para a realização de consultas domiciliárias. Background Most patients at the end of life need medical home care. There is scarce information on the experience of Portuguese family physicians caring for these patients. Objective This study aims to understand how Portuguese family physicians perceive the experience of caring for patients and families in end of life. Methods We performed a qualitative study using semi-structured interviews with a sample of eight family physicians with experience in follow-up of patients in end of life. The interviews were audio taped, transcribed and analyzed according to the procedures of "grounded theory". Results Four domains emerged from the reports of family doctors. The intrinsic factors influencing how the physician deals with patients in end of life are related to training in palliative care, personal motivation and the relationship with the patient and family. The extrinsic factors of influence relate to organizational conditions, attitudes of other professionals and social-familial conditions. Physicians characterize their experience describing the perception of personal performance, subjective appraisal and personal feelings aroused by the experience. The characterization of the patient and family experience reported by doctors refers to the condition of the patient, description of the circumstances of his death and attitudes and perceptions of the patient and family. Conclusion The experience of caring for patients in end of life is seen by family physicians as challenging, rewarding and determined by a complex system of personal conditions, training, relational, structural and social-familial factors. Family physicians can improve patient care at the end of life through personal training in palliative care, working with nurses and hospital doctors, availability of human resources and materials and time to do home visits.
Document Type Master Thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Sá, Armando Brito de; Pereira, Eugénia Ribeiro
delicious logo  facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
degois logo
mendeley logo

    Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia