Document details

Representações e práticas da maternidade em contexto multicultural e migratório

Author(s): Sopa, Maria João Pereira cv logo 1

Date: 2009

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.2/1343

Origin: Repositório Aberto da Universidade Aberta

Subject(s): Sociologia da saúde; Sociologia das migrações; Comuniação em saúde; Comunicação intercultural; Imigração; Maternidade; Saúde; Cuidar; Multiculturality; Interculturality; Immigration; Maternity; Practices of cares; Newly born; To take care transcultural


Description
RESUMO: As sociedades de hoje são cada vez mais, culturalmente diversificadas. Portugal não é excepção, verificando-se este fenómeno no quotidiano. Consequência deste facto assiste-se a um aumento significativo de mulheres a viver o processo da maternidade em contexto multicultural e migratório. A maternidade não é imune à pressão de diversos factores que estão subjacentes a um processo migratório. É enquadrado neste paradigma que este estudo envereda a sua pesquisa, pretendendo compreender de que modo a mulher imigrante vivencia a sua gravidez, parto e puerpério em situação de adaptação/aculturação. De modo a dar resposta ao pretendido com o estudo, dirigiu-se o mesmo para a metodologia qualitativa. É um estudo descritivo, exploratório e transversal. Optou-se como instrumentos de colheita de dados, pela entrevista semi-estruturada associada à observação participante. Foram entrevistadas no seu domicílio, vinte mulheres imigrantes que tinham sido mães recentemente em Portugal. Os dados foram analisados através da técnica de análise de conteúdo de Bardin. Concluiu-se que as práticas de cuidados relativas à maternidade, encetadas na intimidade da família são grandemente influenciadas pelos saberes culturais originais, embora sofrendo algumas alterações em contexto de imigração, fruto da interferência da cultura de acolhimento. O suporte social informal na ajuda da consolidação do papel materno tem um peso mais expressivo, do que o suporte social formal, nomeadamente, dos profissionais de saúde. ABSTRACT: The societies today are more and more, culturally diversified. Portugal is no exception, this phenomenon can be verified in the everyday life. Consequence of this fact is the significant increase of women who live the process of the maternity in a multicultural and migratory context. The maternity is not exempt from the pressure of several aspects that are related to a migratory process. It is framed in this paradigm that this study does its research, trying to understand the way the woman immigrant live their pregnancy, childbirth and puerperium in a situation in which they have to experience the adaptation to the culture of the foreign country. In order to give answer to the purpose of the study, the option was the qualitative methodology. It is a descriptive, exploratory and traverse study. We opted, as instruments of collection of the data, for the semi-structured interview associated to the participant observation. Twenty immigrant women, who had been recently mothers in Portugal, were interviewed at their homes. The data were analyzed through the technique of content analysis of Bardin. We are able to conclude that the relative practices of cares to the maternity, begun in the intimacy of the family are largely influenced by their own cultural origine, although suffering some alterations in immigration context, fruit of the interference of the reception culture. The informal social support in the help of the consolidation of the maternal paper has a more expressive weight than the formal social support, such as the one given by the professionals of health. Dissertação de Mestrado em Comunicação em Saúde apresentada à Universidade Aberta
Document Type Master Thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Ramos, Natália
delicious logo  facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
degois logo
mendeley logo

Related documents