Document details

Da Web 2.0 ao E-learning 2.0 : aprender na rede

Author(s): Mota, José Carlos cv logo 1

Date: 2009

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.2/1381

Origin: Repositório Aberto da Universidade Aberta

Subject(s): Ensino a distância; E-Learning; Internet; Web 2.0; Aprendizagem; Comunidades virtuais; Interactividade; Ensino colaborativo; Colectives; PLE; Collaboration; Collaborative learning; Read/write web; Connectivism; Collective intelligence; Personal learning environment; Connective knowledge; Networks; E-Learning 2.0


Description
Dissertação de Mestrado em Pedagogia do E-Learning apresentada à Universidade Aberta A emergência da Web 2.0, ou Read/Write Web, é algo que vai muito para além do mero domínio tecnológico: ela é, mais do que uma revolução tecnológica, uma revolução social e cultural, estendendo-se a todas as áreas da sociedade. Em poucos anos, a Web 2.0 mudou radicalmente a forma como as pessoas utilizam a Internet e interagem com os outros, com a informação e com o conhecimento. De consumidores de conteúdos e informação, estes novos cidadãos digitais passaram também a ser produtores de informação, criando conteúdos que partilham e que passam a fazer parte do corpus de informação e de conhecimento disponíveis na Web, tomando para si o controlo de muitos processos e espaços tradicionalmente dominados por corporações e instituições. Do citizen journalism ou jornalismo participatório aos sistemas de recomendação dos próprios consumidores, é o embrião de uma democracia digital solidária, empenhada e voluntária que parece tomar forma. Quando vista na perspectiva do e-Learning, esta nova realidade provoca mudanças muito significativas, podendo falar-se na emergência do e-Learning 2.0. Os utilizadores trazem para as situações de aprendizagem uma série de necessidades e expectativas, de formas de actuar e de se relacionar com a informação e o conhecimento que exigem novos modos de facilitar e orientar a sua formação. Por um lado, aspectos como a independência e a autonomia na aprendizagem, a sua personalização e o controlo desse processo por parte de quem aprende, desde sempre fundamentais no ensino a distância, ganham agora uma nova dimensão e relevância, quando a cultura participatória da Web actual exigepedagogias, elas também, participatórias, em que os aprendentes sejam contribuintes activos para a sua experiência de aprendizagem. Por outro lado, a vivência em rede, assente na partilha, no diálogo e na colaboração, requer contextos em que a aprendizagem tenha uma forte dimensão social e a interacção e a colaboração sejam incentivadas. Novas perspectivas pedagógicas para a era digital, como o Conectivismo ou a Educação Rizomática, juntam-se às abordagens de raiz socioconstrutivista potenciadas pela utilização do software social. Enquanto alguém que aprende ao longo da vida, o utilizador Web 2.0 transporta consigo um conjunto de contactos, recursos, ferramentas e artefactos (dinâmico, mutável e evolutivo), uma espécie de portfólio pessoal combinado com uma rede social de comunicação e interacção, que constitui, de certa forma, o seu Ambiente Pessoal de Aprendizagem (Personal Learning Environment – PLE). As características deste contexto sociocultural, tecnológico e educativo e a experiência que resulta de viver e aprender nele conduzem a uma certa desestabilização e problematização de noções como as de autoria, validade e certificação do conhecimento, aprendizagem formal e informal, relação entre quem aprende e quem ensina ou natureza e finalidade do conhecimento, bem como do papel da Universidade e do Professor. Abstract: The emergence of Web 2.0 or Read/Write Web is something that goes beyond technological development: more than a technological revolution, we are witnessing a social and cultural revolution spreading to all áreas of society. In a few years, Web 2.0 has radically changed the ways people use the Internet and interact with others and with information and knowledge. From consumers of content and information, these new digital citizens have become producers, creating content which they share and that becomes part of the information and knowledge freely available on the Web, claiming the control of many processes and contexts traditionally under the tight grip of corporations and institutions. From citizen or participatory journalism to the user recommendation systems, a solidary, committed and voluntary digital democracy seems in the making. When seen through the lens of e-Learning, this new reality brings changes significant enough to give rise to a new concept: e-Learning 2.0. Users bring into their learning experiences a series of needs and expectations, of ways of acting and relating to information and knowledge that call for new ways of facilitating anad guiding their learning. On the one hand, learner independence and autonomy, personalization of learning and learner control of the learning process, which have traditionally been some of the fundamental aspects of Distance Education gain a new dimension and relevance, when the participatory culture of the Web today demands pedagogies which are also participatory. On the other hand, the network experience, based on sharing, conversation and collaboration requires contexts in which learning has a strong social dimension and collaboration and interaction are fostered. New pedagogical perspectives for the digital era, such as Conectivism andRhizomatic Education, join socioconstructivist approaches enhanced by social software. As people who learn throughout their lives, Web 2.0 users carry with them a compound of contacts, resources, tools and artefacts (dynamic, mutable, evolving), a kind of personal portfolio combined with a social communication and interaction network which constitutes their Personal Learning Environment (PLE). The characteristics of this sociocultural, technological and educational context and the experience that results from living and learning in it lead to a certain destabilization and questioning of the notions of authorship, validity and certification of knowledge, formal and informal learning, relationship between who learns and who teaches and the purpose of knowledge, as well as the roles of the University and the Teacher.
Document Type Master Thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Pereira, Alda
delicious logo  facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
degois logo
mendeley logo

Related documents


    Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia