Document details

Tornar-se homem : dramaturgias em torno das apresentações de si, das emoções e ...

Author(s): Santos, Luís Filipe Oliveira cv logo 1

Date: 2009

Persistent ID: http://hdl.handle.net/1822/10157

Origin: RepositóriUM - Universidade do Minho

Subject(s): Masculinidades; Sexualidades; Expressão emocional e afectiva; Ciberespaço; Masculinities; Sexualities; Emotional and affective expression; Cyberspace; 316.6; 159.922.11; 681.324


Description
Tese de doutoramento Psicologia - (área de conhecimento em Psicologia Social) A expansão significativa dos estudos de género, para a qual diferentes perspectivas teóricas, epistemológicas e metodológicas têm vindo a contribuir, sobretudo a partir da década de 90 do século XX, tem revelado uma pluralidade de barreiras à construção e vivência de diferentes identidades características da existência humana, reforçando as posições, nas quais nos situamos, que rejeitam explicações essencialistas favoráveis à crença de um mundo naturalmente ordenado. De acordo com tais posições, em geral, os homens aprenderam, no contexto da modernidade ocidental, a regular as apresentações de si e a expressão emocional e afectiva, em resultado da incorporação de um modelo dominante que os associa à heterossexualidade, à racionalidade e ao autocontrolo. Diversos estudos, inscritos em epistemologias pós-modernas, têm desafiado, contudo, as consolidações heteronormativas do sexo, do género e da sexualidade. Por outro lado, o ciberespaço é cada vez mais reconhecido como um palco facilitador da expressão de múltiplas apresentações de si e do self-disclosure online, graças a uma menor vulnerabilidade percebida. Face a este cenário, a investigação que neste momento se apresenta tem por objectivo principal dar visibilidade a diferentes dramaturgias em torno das apresentações de si, das emoções e dos afectos em palcos offline (e.g., família, amigos, colegas, local de trabalho, escola, intimidade) e online (e.g., páginas pessoais, blogues, salas de conversação, mensagens instantâneas, redes sociais), por parte de pessoas que se apresentaram como homens numa entrevista em profundidade realizada online. Situada em pressupostos teóricos e epistemológicos construcionistas sociais e na perspectiva queer, a presente investigação, qualitativa e mediada por computador, compreendeu a realização de dois estudos empíricos. O Estudo 1, referente às sexualidades socialmente produzidas como normativas, abrangeu 17 participantes; e o Estudo 2, referente às sexualidades socialmente produzidas como não normativas, outros 17. Foram aferidas, em ambos os estudos, diferentes configurações das masculinidades, bem como das apresentações de si e da expressão emocional e afectiva em palcos offline e online. Uma vez constituído o corpus de análise, e através da análise temática, foram identificados três temas, cuja análise em profundidade foi posteriormente auxiliada pelo método da análise foucaultiana de discurso. Os temas identificados foram: 1) homens e masculinidades; 2) sexualidades masculinas e domesticação emocional e afectiva; e 3) da experiência da opressão, ao desejo de libertação: identidades e poder no ciberespaço. Em geral, os resultados apontam para uma assimetria de poderes associada a uma hierarquização das masculinidades, sendo que a masculinidade hegemónica surge como uma espécie de ideologia universal, experienciada em jeito de crença pelos participantes dos dois estudos, quanto à forma como um homem deve “ser” e “parecer”, o que significa: heterossexual, fisicamente robusto, autosuficiente e emocionalmente controlado. Por outro lado, foi revelada uma diversidade de identidades masculinas independente da orientação sexual, silenciada por contextos opressivos que as remetem para “dentro do armário”, potenciando, deste modo, a ocorrência de implicações negativas para a saúde. É neste contexto que o ciberespaço surge como um palco revelador de diferentes experiências contraditórias de poder e, simultaneamente, um palco de exercício de poder associado às identidades e à expressão emocional e afectiva. O mesmo surge como um lugar que favorece a mobilização individual e colectiva, favorecendo sentimentos de pertença e, nesse sentido, (mais) uma “chave” para abrir o armário, denunciando inúmeros paradoxos de uma sociedade que se diz atenta aos direitos, liberdades e garantias dos cidadãos que lhe dão vida. The significant expansion of studies on gender, which have received different theoretical, epistemological and methodological perspectives since the 1990’s, have been revealing a plurality of barriers to the construction and the experience of different identities which are characteristic of human existence, strengthening the views on which we stand and which reject essentialist explanations favourable to the belief in a naturally ordained world. In general, according to these views, men have learned in the context of western modernity, to regulate the presentations of themselves and their emotional and affectional expression as the result of the incorporation of a dominant model which binds them to heterosexuality, rationality and self-control. Several studies, inscribed in post-modern epistemologies have however challenged the heteronormative consolidations of sex, gender and sexuality. On the other hand, cyberspace is growing in recognition as a stage that facilitates the expression of multiple presentations of oneself and of online self-disclosure, thanks to the lesser degree of vulnerability perceived there. Given this scenario, the research which is presented at this moment has as its main goal to heighten the visibility of different dramaturgies around the presentations of oneself, of emotions and of affections on offline (e.g., family, friends, colleagues, workplace, school, intimacy) and online stages (e.g., personal homepages, blogs, chat rooms, instant messaging, social networks), by people who presented themselves as men in the context of an in depth interview which took place online. The present qualitative research, situated in social constructionist theoretical and epistemological presumptions and in the queer perspective, had the computer as its medium and comprehends two empirical studies. Study 1, which refers to socially produced sexualities as normative, involved 17 participants; Study 2, which refers to socially produced sexualities as non-normative, involved 17 other participants. Both studies compared different configurations of the masculinities, as well as the presentations of oneself and the emotional and affective expression in offline and online stages. Once the corpus of analysis was constituted, three themes were identified through theme analysis, and their in depth analysis was later aided by the method of the foulcaultian analysis of speech. The themes identified were: 1) men and masculinities; 2) masculine sexualities and emotional and affective domestication; and 3) from the experience of oppression to the desire of liberation: identities and power in cyberspace. In general, the results point to an asymmetry of powers associated to a hierarchy of the masculinities where the hegemonic masculinity appears as a kind of universal ideology, experienced as a belief by the participants of both studies, regarding the way a man should “be” and “appear”, and that is: heterosexual, physically robust, self-sufficient and emotionally in control. On the other hand, the studies revealed a diversity of masculine identities regardless of sexual orientation, silenced by oppressive contexts which confine them into “closets” and therefore give rise to the potential occurrence of negative implications to one’s health. It is within this context that cyberspace appears as a revealing stage for different contradictory experiences of power and, simultaneously, a stage for the exercise of power associated to the identities and to the emotional and affective expression. It also appears as a place that favours individual and collective mobilization, nurturing feelings of belonging and in that sense, providing (another) “key” to open the closet, denouncing innumerable paradoxes of a society which claims itself as regardful to the rights and the freedom of the citizens which bring it to life.
Document Type Doctoral Thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Nogueira, Conceição
delicious logo  facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
degois logo
mendeley logo

    Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia