Document details

Os professores : percursos, práticas e concepções de literacia

Author(s): Eusébio, Maria Helena de Azevedo cv logo 1

Date: 2009

Persistent ID: http://hdl.handle.net/1822/11134

Origin: RepositóriUM - Universidade do Minho

Subject(s): Leitura; Escrita; Professor(es)-leitor(es); Hábitos; Práticas; Reading; Writing; Teachers; Readers; Habits; Practices; 372.4; 37.014.22


Description
Dissertação de mestrado em Educação (área de especialização em Supervisão Pedagógica em Ensino do Português)Os discursos sobre as baixas competências de literacia dos alunos levou-nos a realizar o presente estudo, no intuito de compreender a forma como um grupo de professores se posiciona face à prática da leitura e da escrita, uma vez que é a eles (e às suas características não só pedagógicas como pessoais) que muitas vezes se atribuem os desempenhos negativos dos jovens escolares. Concebendo-se a literacia como uma prática socialmente construída e culturalmente situada, partimos do pressuposto de que, do envolvimento dos professores em práticas e eventos de literacia ao longo das suas trajectórias de vida, podem ter resultado práticas e concepções particulares de leitura e escrita e da sua promoção. Assim, neste estudo, procura-se conhecer os percursos de leitura e escrita de cinquenta e dois professores desde a infância e juventude até ao presente, comparar os hábitos de leitura e escrita nestas fases das suas vidas, identificar os factores que determinaram a sua relação actual com a leitura e a escrita, caracterizar as suas práticas actuais, bem como articular práticas e concepções de promoção da leitura e de construção de leitores. Da análise sai reforçada a valorização da leitura, quer no contexto escolar, quer na vida pessoal dos professores. Essa valorização emerge do estatuto privilegiado que a leitura tem no quadro de ocupação dos tempos livres, tanto na infância e juventude como na fase actual das suas vidas, na sua auto-avaliação de leitor e da prática da leitura no presente. Os factores que mais determinaram a relação actual dos professores com a leitura são os gostos pessoais, as exigências da profissão, a escola e a família. Aliás, os familiares parecem ter sido as pessoas que mais influenciaram os professores na sua relação actual com a leitura. No presente, a prática da leitura, fortemente condicionada por finalidades profissionais, parece sofrer um ligeiro decréscimo relativamente ao passado devido a razões como a falta de tempo, a vida familiar, o cansaço e as exigências da profissão. A escrita parece ser, como na infância e juventude, uma prática presente no quotidiano dos professores, embora naquele momento fosse mais “recreativa” e de carácter intimista e, no presente, mais marcada por finalidades profissionais (correcção de escritos pedagógicos, relatórios, actas). Ainda assim, os professores parecem possuir concepções redutoras de leitura e escrita, valorizando quase exclusivamente o suporte livro, o que os leva a não considerar como práticas de leitura e escrita as de natureza digital e funcional. A maior parte dos professores considera a escola determinante na construção de leitores e parece assumir-se como protagonista na promoção da leitura em contexto escolar.The speeches on the low literacy skills of the students has led us to focus on this matter, so that we could understand how a group of teachers will put the reading and writing into practice. This is important, since most of the times they are supposed to be responsible for their students’ bad results, due both to their personality and way of acting in class. Bearing in mind that the literacy is socially built and related to culture, we are convinced that the teachers’ involvement in practices and literacy events throughout their lives can have a positive effect on the students’ development of reading and writing skills. Therefore in this study we have tried to focus on the reading paths of fifty-two teachers, from childhood and teenage years till nowadays, compare their reading and writing habits in those stages of their lives, identify the factors that determine their present relationship with reading and writing, characterize their ways of acting in class as well as coordinate practices and ideas of the reading development and the “creation” of readers. From this analysis the idea that reading is extremely important is reinforced, not only inside the classroom, but also in the teachers’ personal lives. This value comes from the privileged position reading assumes as a free time activity, both during childhood and adult life. The factors that were decisive in the present relationship of teachers with reading were their personal preferences, their needs for professional reasons, school and family. Actually the family members seem to be the ones who have had the biggest influence in the way the teachers face reading. Nowadays the reading practice, intimately associated with the demands of the teachers’ job, seems to have suffered a slight decrease, due to the lack of time, tiredness and family life. Writing is still a common practice in the teachers’ everyday life, but for different purposes. In the past it used to be more creative and personal, whereas nowadays it is strongly associated to the teachers’ tasks (correction of the students’ papers, reports, etc). Yet, teachers seem to have a simplified and incomplete conception of reading and writing, valuing almost exclusively the books, and not considering the functional and digital reading and writing practices. The majority of teachers consider that school plays an extremely important role in the “creation” of readers and consider themselves the main actors on promoting these reading and writing habits inside the classroom.
Document Type Master Thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Dionísio, Maria de Lourdes da Trindade
delicious logo  facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
degois logo
mendeley logo

Related documents