Document details

Concepções alternativas em mecânica: um contributo para a compreensão do seu co...

Author(s): Leite, Laurinda cv logo 1

Date: 1993

Persistent ID: http://hdl.handle.net/1822/54

Origin: RepositóriUM - Universidade do Minho


Description
Sendo a mecânica um dos temas em que as concepções alternativas se têm demonstrado mais frequentes e difíceis de alterar através do ensino tradicional, o presente trabalho pretende contribuir para o aumento da compreensão de tal facto. Assim, esta tese tem como objectivos gerais: analisar a consistência com as previsões da teoria do senso comum para o movimento, proposta por Ogborn, das respostas a problemas qualitativos de mecânica, dadas por alunos do 8° e do 100 ano, antes e após o estudo do tema, e investigar o conhecimento que os professores de Ciências Físico-Químicas têm da problemática das concepções alternativas. No estudo realizado com alunos, os dados foram recolhidos através de entrevistas realizadas sobre 10 situações problemáticas que podem ser correctamente resolvidas com base nos principais conceitos e leis da mecânica newtoniana, mas que podem, por outro lado, ser respondidas com base na teoria do senso comum para o movimento. No caso do estudo com professores, os dados foram recolhidos através de um questionário distribuído a nível nacional, a professores de Ciências Físico-Químicas de escolas secundárias e C+S seleccionadas aleatoriamente. Para além de questões que permitiam caracterizar os professores, o questionário continha perguntas sobre a problemática das concepções alternativas, em geral, e sobre as concepções alternativas em mecânica, em particular. Os resultados do estudo com alunos parecem indicar que, com excepção de movimentos de queda e, particularmente, de queda no vácuo (não explicitamente prevista pela teoria), as respostas dos alunos são bastante consistentes com a teoria do senso comum para o movimento. Uma reformulação da teoria conseguiu aumentar o seu carácter predictivo para mais de 77% e de 61% das respostas solicitadas aos alunos, antes e depois do estudo da mecânica, respectivamente. Por outro lado, verificou-se que os alunos são bastante coerentes ao longo da entrevista, chegando a atingir os 93% a percentagem de alunos que dá uma determinada explicação ou usa uma determinada concepção em pelo menos duas das situações em que ela era passível de ser utilizada. Os resultados do estudo realizado com professores, parecem indicar que eles têm um conhecimento muito reduzido da problemática das concepções alternativas, embora os professores com cinco ou menos anos de serviço pareçam estar um pouco mais conhecedores do assunto. Os professores que já tinham ouvido falar de concepções alternativas, parecem estar não só mais sensibilizados para a percepção de concepções alternativas que os alunos possuem no domínio da mecânica, mas também mais aptos a lidar com elas. Devido à elevada coerência e persistência que as concepções alternativas dos alunos têm em mecânica e dado, por um lado, a sua consistência com a teoria do senso comum para o movimento e, por outro lado, o reduzido conhecimento que os professores têm da problemática em causa, defende-se a necessidade de uma nova abordagem conceptual e metodológica para a mecânica, cuja implementação deverá, contudo, ser precedida de uma adequada formação de professores, centrada nas teorias e metodologias construtivistas do ensino e da aprendizagem. Universidade do Minho; Instituto Nacional de Investigação Científica; Direcção Geral do Ensino Superior; Fundação Calouste Gulbenkian.
Document Type Doctoral Thesis
Language Portuguese
delicious logo  facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
degois logo
mendeley logo

    Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia