Document details

Procrastinação, auto-regulação e género

Author(s): Costa, Marta cv logo 1

Date: 2007

Persistent ID: http://hdl.handle.net/1822/6961

Origin: RepositóriUM - Universidade do Minho

Subject(s): Procrastinação; Auto-regulação da aprendizagem; Género; Procrastination; Self-regulation of learning; Gender


Description
Dissertação de Mestrado em Psicologia - Área de Especialização em Psicologia Escolar A procrastinação é um comportamento relativamente comum em contextos escolares e não escolares. A pertinência do estudo da procrastinação no estudo é elevada uma vez que a vida das estudantes e dos estudantes se caracteriza pelo cumprimento de prazos. Os resultados das investigações que relacionam a procrastinação com outras variáveis são frequentemente contraditórios. A investigação com estudantes não universitários/as é também escassa a nível internacional verificando-se a existência de uma grave lacuna de conhecimento científico. Várias teorias e correntes têm-se dedicado a tentar explicar o fenómeno, verificando-se igualmente a dificuldade em encontrar modelos explicativos integrados. No entanto, antes das pessoas serem procrastinadoras ou assumirem qualquer outra característica personológica, situacional ou relacional são, mulheres e homens. Culturalmente, a distinção entre mulher e homem implica diferenças significativas em termos das características e dos comportamentos assumidos, pelo que a análise da procrastinação numa perspectiva de género é uma linha de investigação não só possível como desejável. A presente investigação foi realizada no sentido de analisar a relação entre a procrastinação no estudo em alunas e alunos do 3.º Ciclo do Ensino Básico. Foi construído um instrumento de avaliação da procrastinação no estudo, de acordo com os modelos identificados na literatura. Este trabalho foi complementado com a análise do perfil auto-regulatório bem como de outras variáveis independentes enunciadas na literatura como estando relacionadas com este comportamento, nomeadamente o sexo. No estudo participaram 1310 estudantes dos 7.º, 8.º e 9.º anos de escolaridade. De forma a estudar a relação entre a procrastinação e as avariáveis em estudo procedeu-se à comparação de médias. Os resultados obtidos permitem constatar que, de uma maneira geral, as alunas procrastinam menos no estudo diário do que os alunos. O perfil auto-regulatório apresenta uma correlação negativa com a procrastinação no estudo. Variáveis como o ano de escolaridade, o número de reprovações, a nota nas disciplinas de Português e Matemática e o nível instrutivo de pais e mães apresentam uma associação significativa com a procrastinação no estudo. Alguns destes resultados não são, no entanto, congruentes com algumas investigações descritas na literatura da área. Afigura-se, por este motivo, muito importante proceder a investigações adicionais para compreender melhor a forma como estas e outras variáveis do contexto educativo de relacionam entre si. Procrastination is a relatively common behaviour in academic and non academic contexts. Studying procrastination is very important since student’s lives are characterized by frequent deadlines. Research that tries to find a correlation between procrastination and other variables has reached contradictory results. The research with undergraduate students is also very scarce at international level causing severe limitations in scientific knowledge. Several theories have tried to explain such phenomena but it has been difficult to find integrated models of explanation. However, before people are procrastinators or assume any other psychological characteristic (concerning relationships or situations) they are woman and man. Culturary, the difference between men and women means that there are several meaningful differences in characteristics and behaviour. Research that relates procrastination and gender is therefore an investigation line that is possible and desirable. This study was designed to understand the relations between study procrastination in girls and boys of the 7th, 8th, and 9th grades. It was build an instrument to evaluate study procrastination according to the theoretical models found in literature. This work also intended to characterize the self-regulatory learning profile as well as other independent variables found in literature has being related to procrastination, including sex. Participated in this study 1310 students from 7th, 8th, and 9th grades. In order to compare procrastination with the other variables we did a media comparison. The results show that, generally, girls procrastinate less in daily study than boys. The self-regulatory profile is negatively correlated with study procrastination. Variables such as school year, number of retentions, grade at Portuguese and Mathematic and level of studies of mothers and fathers are positively correlated with study procrastination. Some of these results aren’t similar to others found in literature. For this reason, is important to continue to investigate this subject so that is possible to do understand the way that these and others variables that interfere in school context are related.
Document Type Master Thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Rosário, Pedro Sales Luís; Saavedra, Luísa
delicious logo  facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
degois logo
mendeley logo

Related documents