Document details

Postigos para o mundo : reflexões em torno do turismo e dos livros de viagens n...

Author(s): Matos, Mário Manuel Lima de cv logo 1

Date: 2007

Persistent ID: http://hdl.handle.net/1822/7324

Origin: RepositóriUM - Universidade do Minho


Description
Tese de Doutoramento, Ramos em Ciências da Cultura, área Cultura Alemã O objecto de reflexão e análise deste trabalho é constituído pela complexa interrelação entre o turismo, que no hemisfério dos países industrializados se transformou, durante a segunda metade do século XX, num fenómeno de massas, e as suas múltiplas formas e modos de mediatização num regime político e sistema sociocultural em que, ao longo dos quarenta anos da sua existência, o multifacetado tópico da viagem desempenhou, a vários níveis, um papel invulgarmente significativo. Em contraste com outras sociedades contemporâneas situadas a ocidente da «Cortina de Ferro», cuja concepção liberal entendia o turismo e contacto intercultural como um domínio apolítico por excelência, na República Democrática Alemã (RDA) verificou-se nessa área um dirigismo estatal que se revestiu sempre de uma grande relevância para a manutenção do sistema político e societal, dirigismo esse que, por ironia da História, viria, por fim, a revelar-se um dos factores mais determinantes para a sua própria implosão. Partindo dessa peculiaridade do fenómeno da viagem num país que, apesar da constelação bipolar da era da «Guerra Fria» e da existência do Muro de Berlim, não ficaria completamente alheio ao processo da globalização, nomeadamente por via de uma crescente mobilidade telemática que facilmente transpunha as fronteiras geopolíticas assim como pelo «plano» de fomento do turismo no seio da «comunidade socialista», o presente estudo propõe-se assim analisar, por um lado, as implicações concretas da «política de viagem» sobre as práticas e os hábitos turísticos da população da extinta RDA e, por outro, as respectivas repercussões ao nível das estratégias discursivas e dos mecanismos formais que sustentam as representações «narrativas» da viagem no formato «bi-medial» (texto e imagem) do livro que é aqui concebido como artefacto cultural e não como um produto apenas literário. Na introdução é ensaiada uma primeira aproximação teórica e metodológica quer à multidimensionalidade do objecto de estudo quer à intencional diversidade e transversalidade de um corpus de análise que, não se limitando à «bela» literatura de viagens da autoria de escritores profissionais, justifica a concepção manifestamente transdisciplinar da presente dissertação. O capítulo seguinte, dedicado aos «Metatextos», consiste numa inventariação e discussão críticas tanto das principais tendências que, durante as últimas décadas, têm marcado a profícua área de investigação em torno da viagem e da literatura de viagens como os (poucos) estudos que até ao momento se debruçaram especificamente sobre o género literário do relato de viagens na RDA. No terceiro capítulo, significativamente intitulado de «Contextos», elabora-se um quadro «policontextual» dos mais diversos factores extra-literários que interferem indelevelmente nos próprios processos de encenação textual e/ou imagética da viagem, tais como a legislação política relacionada com a viagem; as diversas fases da evolução do turismo, o posicionamento do livro na paisagem mediática e as implicações diversas do privilégio da viagem «além muro». No quarto capítulo, dedicado aos «Textos e Imagens em Movimento» procede-se às análises formais e funcionais dos livros de viagens propriamente ditos, distinguindo-se entre estes dois grupos: os dedicados à construção discursiva e à mediatização do «Internacionalismo Socialista» e outros sobre viagens ao «mundo não-socialista». Por fim, tecem-se ainda algumas breves reflexões sobre as viagens na era pós-socialista. The purpose of the present study was to reflect on and analyse the complex interrelationship between tourism, that in the hemisphere of the industrialized countries underwent a transformation into a mass phenomenon in the second half of the 20th century, and its multiple forms and modes of mediatisation by a political regime and a socio-cultural system in which the multifaceted topic of travel played during the forty years of its existence a rather unusual key role at various levels. In contrast to other contemporary societies situated to the west of the «Iron Curtain» whose liberal conceptions understood tourism and intercultural contact as belonging to the apolitical sphere, in the German Democratic Republic (GDR) these issues were always kept under state control; thus, they were of considerable importance to the maintenance of the political and societal system. Ironically, the control of the state in these matters proved to be one of the key factors that led to the GDR´s implosion. Despite the bipolar constellation of the «Cold War» era and the existence of the Berlin Wall, the GDR would not remain completely alien to the globalization process largely due to the increasing telematic mobility that easily crossed geopolitical boundaries and the «plan» to encourage tourism among the «socialist community». This peculiarity of the travel phenomenon in this country served as a starting point for the present study that aims to analyse the concrete implications of the «travel policy» on the tourism practices and customs of the population of the now extinct GDR on the one hand, the respective consequences on the level of the discursive strategies and of the formal mechanisms that support the «narrative» representations of travel in the bi-medial book format (text and image/photonarrative book), here understood as cultural artefact and not merely as a literary product, on the other. The introduction presents a theoretical and methodological approach to both the multi-dimensional character of the study object and the intentional diversity and transversality of the corpus under analysis. Due to the fact that the corpus is not limited to travel literature written by professional writers, the concept underlying the present thesis is inherently transdisciplinary. The next chapter is dedicated to «Metatexts» and consists of an inventarisation and a critical discussion of both the main tendencies that during the last decades have shaped the research field concerned with travel and travel literature and the (few) studies that up to the present date have dealt specifically with the literary genre dedicated to travel accounts in the GDR. The third chapter, significantly entitled «Contexts», provides a «poly-contextual» view of the most diverse extra-literary factors that undoubtedly interfered in the processes of textual and/or imagetic staging of travel, such as political legislation concerning travel; the various phases of the evolution of tourism, the place of the book in the mediatic landscape and the implications of the privilege of travel «to the other side of the Wall». The forth chapter is about «Texts and Images in Movement» and focuses on the formal and functional analysis of the travel books themselves. These books were grouped into two categories: those dedicated to discourse construction and to the mediatisation of the «Socialist Internationalism» and those about travel to the «non-socialist world».This study ends with some brief reflections on the travel theme in the post-socialist era.
Document Type Doctoral Thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Opitz, Alfred
delicious logo  facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
degois logo
mendeley logo