Document details

Desenvolvimento de um modelo de formação: um estudo na formação contínua de pro...

Author(s): Rebelo, Isabel Sofia Godinho da Silva cv logo 1

Date: 2004

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10773/1477

Origin: RIA - Repositório Institucional da Universidade de Aveiro

Subject(s): Formação de professores; Modelos de formação; Professores de química


Description
Num contexto em que a vida nas sociedades contemporâneas é, como nunca antes, influenciada e dependente das ciências (e das tecnologias) e do seu progresso, a educação científica tem sido, em especial desde as duas últimas décadas do século XX, objecto de reflexão e de reconceptualização por parte de diversas instâncias da sociedade nas quais se incluem organismos como a UNESCO, comunidades internacionais de investigação em educação em ciências e poder político, com reflexo em propostas de reforma e de revisão curricular em diversos países, incluindo Portugal. O compromisso com os princípios da equidade e da sustentabilidade levaram ao estabelecimento de finalidades renovadas para a educação no limiar do século XXI, em particular para a educação científica (e tecnológica), traduzidas na meta da educação científica para todos, visando a literacia científica e tecnológica de todos os cidadãos, como veículo para o desenvolvimento de cidadanias informadas, responsáveis e participativas nas sociedades democráticas actuais. Estas perspectivas renovadas da educação científica têm consequências ao nível da reconceptualização das finalidades e dos princípios orientadores do ensino das ciências. Têm implicações sobre os valores determinantes dos papéis de professores e de alunos dessas disciplinas mas também, e de forma mais abrangente, das escolas e dos próprios sistemas educativos. Têm implicações, ainda, sobre as estratégias e os ambientes de ensino e de aprendizagem que podem contribuir para ajudar os alunos a desenvolverem capacidades e competências, valores, comportamentos e estilos de vida consentâneos com o desenvolvimento de cidadanias referidas. Está, pois, em grande medida, mais uma vez nas mãos dos professores de ciências a concretização das inovações subjacentes aos referidos movimentos de reforma, e, pela importância de que se revestem para o futuro dos cidadãos e das sociedades, é necessário assegurar as condições para que, ao contrário do que aconteceu noutras ocasiões, as inovações preconizadas venham efectivamente a concretizar-se. O movimento CTS para o ensino das ciências e as orientações dele decorrentes têm vindo a contribuir para o desenvolvimento de inovações no ensino e na aprendizagem das ciências visando a consecução daquelas finalidades. No entanto, os princípios que lhes subjazem e essas próprias inovações são ainda pouco conhecidos dos professores, designadamente de química. Assim, não é plausível admitir-se que estejam em condições de inovarem o ensino das ciências por esta via, sem um investimento na sua formação nesta área. A formação de professores e, em particular, a formação contínua de professores de ciências, surgem, neste contexto, como instrumentos estratégicos cruciais para promover inovações indispensáveis no ensino das ciências, se conseguirem promover o desenvolvimento das concepções, dos conhecimentos e dos valores que guiam as práticas dos professores e, assim, envolvê-los na inovação do seu próprio ensino, ou seja, se conseguirem efectivamente traduzir-se em oportunidades de desenvolvimento pessoal e profissional dos professores. No presente estudo, desenvolveu-se e avaliou-se um programa de formação contínua de professores de química, que visou facilitar a (re)construção de crenças e de conhecimentos dos professores, relativos à educação formal em química, e envolvê-los na inovação de práticas lectivas. O programa destinou-se a professores profissionalizados do 4º grupo do ensino secundário e assumiu a forma de uma Oficina de Formação intitulada "Perspectivas de Educação em Química no 3º Ciclo do Ensino Básico: exploração de interrelações Ciência-Tecnologia-Sociedade", acreditada no âmbito do sistema formal de formação contínua. Da avaliação francamente positiva da sua implementação resultou a identificação de características que configuram um modelo de formação contínua de professores de ciências, orientado por princípios socioconstrutivistas de desenvolvimento pessoal e profissional de professores. Este modelo de formação contínua de professores de ciências, sendo aplicável no quadro legal da formação contínua em Portugal, é perspectivado como um recurso de inovação no ensino das ciências, informado por resultados de investigação pertinente. Como noutras áreas, também em formação contínua de professores não há inovação à revelia de investigação, pelo que o presente estudo visou contribuir para a inovação e para o desenvolvimento da formação contínua de professores de ciências através da investigação, num momento em que em Portugal é premente a promoção do desenvolvimento profissional dos professores para a efectiva implementação da Reorganização Curricular do Ensino Básico, em curso. Do presente estudo decorrem ainda reflexões que se esperam pertinentes quer no âmbito das políticas e das filosofias da formação de professores, quer no contexto do seu desenvolvimento curricular, em particular da formação contínua de professores de ciências. ABSTRACT: In a world where more than ever every aspect of life is increasingly dependent upon scientific (and technological) progress, science education has been – and continues to be – rethought and reconceptualized, particularly during the final two decades of the 20th Century by organizations such as UNESCO, science education research communities and politicians. In this context, reform movements and proposals for innovation of science education have emerged in several countries, including that of Portugal. The pursuit of equity, social justice and sustainability through education has led to a new vision of science (and technology) education for all for the 21st Century which encompasses promoting the development of a scientifically and technologically literate citizenry, in the interests of ensuring citizen empowerment for responsible and informed personal choices as well as for participation in democratic societies. The renewed goals of science education impact on the goals and premises of science teaching, on the values that underlie the roles of science teachers and students alike, and, more widely, on schools and educational systems. Innovation in science teaching and learning approaches and environments is necessary so as science education can better contribute to the fostering of student competences and to promote the development of knowledge and of values inherent in responsible and informed lifestyles and participation in society. The carrying out of innovations underlying reform movements lies mainly with science teachers. Because of their crucial importance for the future of citizens and societies, it is absolutely necessary to ensure that the conditions for teachers to foster and enact these innovations are met. The STS movement for science education has contributed to the development of innovative proposals for science teaching and learning, with the aims referred to above. However, as neither the premises nor the proposals themselves are known by the generality of science teachers, they cannot be a vehicle for true innovation unless required and suitable investment on teacher education is implemented. Teacher education, in particular in-service science teacher education, when able to engage teachers in personal and professional development, namely in the revision and development of conceptions, knowledge, and values underlying teacher-practices, as well as in the innovation of these practices, is perceived as a strategic tool for the reform of teaching and learning of science in basic and secondary education. In this study, a teacher training program aiming at facilitating the (re)construction of chemistry teachers' beliefs and knowledge about formal education in chemistry, and at engaging them in the innovation of teaching practices, was developed and assessed. It took the form of an Oficina de Formação named "Perspectivas de Educação em Química no 3º Ciclo do Ensino Básico: exploração de interrelações Ciência-Tecnologia-Sociedade", aimed at qualified teachers of the 4th group for secondary schooling in Portugal, accredited within the formal system of continuous teacher education. The positive results of the assessment of the implementation of this programme led to the identification of characteristics that configure a model for in-service education of science teachers underpinned by socio-constructivist views of personal and professional development of science teachers. This model is seen to be applicable within the formal Portuguese in-service teacher education system and perceived as a resource, informed by relevant research, for the innovation of science teaching. As in other fields of study, research is at the heart of innovation in teacher education. Through research this study aimed at contributing to the innovation and development of in-service science teacher education at a time when the promotion of teacher development is crucial to the effective implementation of the changes and innovations that underlie the concerted efforts to introduce curricular reform (Reorganização Curricular do Ensino Básico) in Portugal at the present time. It contributes to reflections both in the fields of politics and philosophy of science teacher education and in the field of curricular development of science teacher education, in particular, that of in-service, carrer-long, science teacher education. Doutoramento em Didáctica
Document Type Doctoral Thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Martins, Isabel; Carvalho, Maria Arminda Pedrosa e Silva
delicious logo  facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
degois logo
mendeley logo

Related documents