Document details

Acumulação de mercúrio em diferentes tecidos do cação

Author(s): Santos, Helena Isabel Oliveira cv logo 1

Date: 2008

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10773/3046

Origin: RIA - Repositório Institucional da Universidade de Aveiro

Subject(s): Química analítica; Cadeia alimentar (Ecologia); Contaminação da água; Mercúrio (metal); Ecotoxicologia


Description
O cação, sendo considerada uma espécie predadora, tem um papel importante na cadeia alimentar aquática. O recente aumento de captura desta espécie predadora para consumo humano e o facto de existirem poucos estudos sobre a acumulação de mercúrio no cação, justifica a necessidade de monitorizar o nível deste contaminante a que esta espécie está sujeita. Entre os diversos metais vestigiais existente no ambiente, o mercúrio merece uma particular atenção devido à sua persistência e toxicidade, encontrando-se distribuído por todo o ambiente devido a fontes naturais ou à actividade humana. A alimentação é a principal forma de exposição do homem ao mercúrio, através da ingestão de peixe contaminado. Nos peixes, 95 a 99% do mercúrio encontra-se sob a forma de metilmercúrio (forma química mais tóxica). A concentração de mercúrio no peixe constitui um grave problema de saúde pública que pode contrastar com os vários benefícios alimentares de comer peixe. No âmbito deste trabalho, estabeleceu-se como objectivo avaliar a acumulação de mercúrio em diversos tecidos do Cação Pata-roxa (Scyliorhinus canicula) e em peixes de diferente tamanho. Foram analisadas amostras de músculo, fígado, pâncreas, brânquias e coração do Cação Pata-roxa, em amostras capturadas no Oceano Atlântico. A concentração de mercúrio variou nos tecidos da espécie em estudo da seguinte forma: músculo > coração > fígado ≈ brânquias > pâncreas, apresentando concentrações de mercúrio total variáveis (0,03 a 0,91 μg g-1). Não se verificou efeito da classe (tamanho do peixe) na concentração de mercúrio. Não se verificaram diferenças significativas dos níveis de mercúrio em machos e fêmeas. Todas as amostras consideradas apresentaram níveis de mercúrio inferiores ao limite máximo definido na legislação Portuguesa para espécies predadoras (1,0 μg g-1), o que permite dizer que a espécie analisada é apropriada para o consumo humano e tem concentrações de mercúrio total abaixo dos limites legais prescritos, não constituindo por isso risco para a saúde humana. ABSTRACT: The lesser-spotted dogfish Scyliorhinus canicula, being considered a predatory species, has an important role in aquatic food chains. Recently, the capture increase of these predatory species for human diet and the fact that few studies of mercury accumulation in the lesser-spotted dogfish Scyliorhinus canicula were performed, justifies the need to control the contaminants levels to which this species is subjected. Among the variety of vestigial metals of environmental concern, mercury has deserved increasing attention due to its persistence and toxicity, being distributed throughout the environment from both natural sources and human activities. The dietary is the main route of human exposure to mercury, through the contaminated fish consumption. In fishes, 95 to 99% of mercury is present in the form of methylmercury (the most toxic form). The high mercury concentration in fishes constitute a serious problem of public health which might/can contrast with the large benefits of eating fish food. The main purpose of the present study was to evaluate the accumulation of mercury in dogfish (Scyliorhinus canicula) different tissues of fishes of different sizes, once this species is considered of great commercial interest in Portugal. To assess mercury levels samples were collected and analysed for muscle, liver, pancreas, gills and heart of dogfish with different size captured in the Atlantic Ocean. The concentration of mercury followed the order: muscle > heart > liver ≈ gills > pancreas. Total mercury concentrations in fish tissues samples ranged between 0,03 to 0,91 μg g-1. There was no correlation between mercury concentration and fish size and there was no significant difference between total mercury concentrations in males and females of this specie. Mercury levels obtained in all fish tissues samples were below the maximum limit defined by Portuguese law for predatory species (1,0 μg g-1) which indicates that all fish were suitable for human consumption with the metal concentrations under the prescribed legal limits, constituting no risk for humans health. Mestrado em Química Analítica e Controlo de Qualidade
Document Type Master Thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Pereira, Maria Eduarda da Cunha; Duarte, Armando da Costa
delicious logo  facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
degois logo
mendeley logo

Related documents