Document details

Ptofobia e dimensões psicológicas associadas : estudo em pessoas idosas

Author(s): Santos, Ângela Maria Rolo dos cv logo 1

Date: 2011

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10773/7327

Origin: RIA - Repositório Institucional da Universidade de Aveiro

Subject(s): Gerontologia; Pessoas idosas; Fobias


Description
A ptofobia, ou o medo fóbico de cair, é amplamente encontrada na população idosa e é reconhecida, actualmente, como sendo um problema de saúde geriátrico. Apesar de influenciar negativamente a qualidade de vida das pessoas mais velhas, tem sido amplamente negligenciada enquanto objecto de estudo, sobretudo no que respeita aos constructos psicológicos a ela associados. Objectivos: Analisar (i) a relação entre a presença de medo ccair, a auto-eficácia nas quedas, a ansiedade, o controlo percebido sobre o cair e o equilíbrio numa amostra de pessoas idosas clientes de serviços sociais, (ii) a relação entre estas variáveis com as características dos participantes e (iii) estimar quais os constructos de natureza psicológica que poderão melhor predizer o risco de desenvolver medo de cair. Metodologia: Recorreu-se a uma amostra de 100 pessoas, 77 mulheres e 33 homens com uma média de idades de 80.80 anos (SD 7.54 anos). Na recolha de dados utilizou-se um protocolo construído pela investigadora que incluia, além de informação sócio-demográfica e referente ao estado de saúde dos participantes, informação relativa ao medo de cair e historial de quedas. O protocolo incluia também: a Escala de medição do Medo de Cair (FES), o Inventário de Ansiedade Geriátrica (GAI), a Escala de Controlo Percebido Sobre o Cair (PCOF) e o Teste de Tinetti (POMA-I). Foram realizadas análises estatísticas através do teste t -Student, ANOVA e teste do Qui-quadrado, Coeficiente de Correlação de Pearson, e regressões logísticas. Resultados: A presença de ptofobia está associada, maioritariamente, ao sexo feminino, a idades avançadas, viúvez, a níveis reduzidos de escolaridade, a um pior estado de saúde, à institucionalização, à história prévia de quedas, e a uma menor auto-eficácia, controlo percebido sobre o cair e equilíbrio. Verificou-se uma associação estatísticamente significativa entre os resultados da GAI com a FES, PCOF e POMA-I. Constatou-se, também, que 47,1% do medo de cair era explicado por dois itens dos instrumentos utilizados no estudo, um pertencente à FES (“Trabalho doméstico ligeiro”) e um relativo à GAI (“Sinto-me muitas vezes nervoso”). Conclusão: A ptofobia é influenciada por diversos constructos que apesar de serem commumente considerados equivalentes ao medo de cair, não o explicam na totalidade. Os resultados evidenciam a importância de considerar em estudos futuroas as dimensões de natureza psicológica relacionadas com o desenvolvimento de medo de cair, nomeadamente a presença de sintomatologia ansiosa específica. A ptofobia, ou o medo fóbico de cair, é amplamente encontrada na população idosa e é reconhecida, actualmente, como sendo um problema de saúde geriátrico. Apesar de influenciar negativamente a qualidade de vida das pessoas mais velhas, tem sido amplamente negligenciada enquanto objecto de estudo, sobretudo no que respeita aos constructos psicológicos a ela associados. Objectivos: Analisar (i) a relação entre a presença de medo ccair, a auto-eficácia nas quedas, a ansiedade, o controlo percebido sobre o cair e o equilíbrio numa amostra de pessoas idosas clientes de serviços sociais, (ii) a relação entre estas variáveis com as características dos participantes e (iii) estimar quais os constructos de natureza psicológica que poderão melhor predizer o risco de desenvolver medo de cair. Metodologia: Recorreu-se a uma amostra de 100 pessoas, 77 mulheres e 33 homens com uma média de idades de 80.80 anos (SD 7.54 anos). Na recolha de dados utilizou-se um protocolo construído pela investigadora que incluia, além de informação sócio-demográfica e referente ao estado de saúde dos participantes, informação relativa ao medo de cair e historial de quedas. O protocolo incluia também: a Escala de medição do Medo de Cair (FES), o Inventário de Ansiedade Geriátrica (GAI), a Escala de Controlo Percebido Sobre o Cair (PCOF) e o Teste de Tinetti (POMA-I). Foram realizadas análises estatísticas através do teste t -Student, ANOVA e teste do Qui-quadrado, Coeficiente de Correlação de Pearson, e regressões logísticas. Resultados: A presença de ptofobia está associada, maioritariamente, ao sexo feminino, a idades avançadas, viúvez, a níveis reduzidos de escolaridade, a um pior estado de saúde, à institucionalização, à história prévia de quedas, e a uma menor auto-eficácia, controlo percebido sobre o cair e equilíbrio. Verificou-se uma associação estatísticamente significativa entre os resultados da GAI com a FES, PCOF e POMA-I. Constatou-se, também, que 47,1% do medo de cair era explicado por dois itens dos instrumentos utilizados no estudo, um pertencente à FES (“Trabalho doméstico ligeiro”) e um relativo à GAI (“Sinto-me muitas vezes nervoso”). Conclusão: A ptofobia é influenciada por diversos constructos que apesar de serem commumente considerados equivalentes ao medo de cair, não o explicam na totalidade. Os resultados evidenciam a importância de considerar em estudos futuroas as dimensões de natureza psicológica relacionadas com o desenvolvimento de medo de cair, nomeadamente a presença de sintomatologia ansiosa específica. Mestrado em Gerontologia
Document Type Master Thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Ribeiro, Óscar Manuel Soares
delicious logo  facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
degois logo
mendeley logo

Related documents


    Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia