Document details

Validação de um ensaio in situ com Eisenia andrei

Author(s): Cuco, Ana Patrícia Domingues cv logo 1

Date: 2008

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10773/778

Origin: RIA - Repositório Institucional da Universidade de Aveiro

Subject(s): Toxicologia; Metais; Poluição do solo


Description
Os ensaios biológicos referentes ao compartimento terrestre são ainda escassos, sobretudo no que refere a ensaios in situ, fundamentais para a análise de risco de locais contaminados. Este trabalho teve assim como objectivo validar um ensaio desenvolvido por Antunes et al. (in press) com Eisenia andrei, de forma a definir o tempo de exposição mínimo necessário para observar efeitos significativos em termos de bioacumulação de metais e em parâmetros moleculares de stress oxidativo. O ensaio foi desenvolvido segundo os procedimentos do ensaio inicial, mas com tempos de exposição (2, 4, 7 e 14 dias). iguais e superiores ao previamente definido. Após os diferentes períodos de exposição, foram avaliados biomarcadores de stress oxidativo (TBARS – substâncias reactivas ao ácido tiobarbitúrico; actividade da enzima catalase e actividade das enzimas glutationa-S-transferases) e a bioacumulação de metais nos organismos, com o subsequente cálculo dos factores de bioconcentração (FBC) Os resultados foram então sujeitos a tratamento estatístico, que demonstrou que os organismos apresentam bioacumulação significativa que depende do solo e do tempo de exposição (excepto Mn e Pb) A avaliação dos biomarcadores voltou a não ser um parâmetro muito sensível à contaminação ambiental, uma vez que apenas dois dos três biomarcadores analisados revelaram respostas sensíveis, e mesmo assim, apenas para exposição a alguns dos solos utilizados. De acordo com os resultados obtidos é possível concluir que 14 dias são o tempo de exposição mínimo necessário para registar alterações significativas nos parâmetros avaliados. ABSTRACT: Although their crucial importance for the ecological risk assessment of contaminated sites, bioassays for the terrestrial compartment, mainly in situ bioassays, are still scarce. Hence, the goal of this study was to validate an in situ bioassay previously developed by Antunes et al. (in press) with Eisenia andrei, to define the minimal exposure time needed to record significant effects in terms of metals bioaccumulation and oxidative stress biomarkers. The assay followed the methodology previously defined, but increasing the 2 day’s exposure period for 4, 7 e 14 days. At the end of each exposure period oxidative stress biomarkers (TBARS - thiobarbituric acid reactive substances), catalase activity and glutathione S-transferases activity were analysed, as well as, metals residues bioaccumulated in the whole body of the organisms. This last data was used to calculate bioconcentration factors (BCF). Data was submitted to statistical analysis, wich demonstrated that organisms presented soil and time-dependent significant bioaccumulation (except for Mn e Pb). Biomarkers analysis were not sensitive parameters to environmental pollution once again, since only two of the three analysed biomarkers revealed significant responses, only in organisms exposed to some of the test soils. According to the results obtained it was possible to conclude that 14 days is the minimal exposure time needed to record significant changes in the analysed parameters. Mestrado em Toxicologia e Ecotoxicologia
Document Type Master Thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Pereira, Ruth Maria de Oliveira; Antunes, Sara Cristina Ferreira Marques
delicious logo  facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
degois logo
mendeley logo

Related documents


    Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia