Document details

Transtorno de estresse pós-traumático associado ao abuso e dependência de álcoo...

Author(s): Heloisa de Souza Dantas

Date: 2009

Origin: OASIS br

Subject(s): Street Drugs; Comorbidity; Transtorno de estresse pós-traumático; Post-traumatic stress disorder; Epidemiology; Estudos transversais; Comorbidade; Epidemiologia; Violence; Transtornos relacionados ao uso de substâncias; Substance-related disorders; Alcoholism; Alcoolismo; Cross-sectional Studies; Drogas ilícitas; Violência


Description
INTRODUCTION: Post-Traumatic Stress Disorder (PTSD) is characterized by the development of specific symptoms after an intense traumatic event that affects the person directly or indirectly. The lifetime prevalence of PTSD ranges from 1.4% to 11.2%. Women are more vulnerable than men, although men experience more lifetime traumatic events. Other than causing a number of problems in someone´s life, there are high comorbidity rates between PTSD and substance abuse and dependence (SAD), which in turns is associated with worse psychopathological conditions, lower levels of social functioning, more frequent utilization of health care services and worse treatment outcomes. OBJECTIVES: to examine the distribution of traumatic events and the prevalence of PTSD and alcohol/drug abuse and dependence; to examine the distributions of PTSD cases across different types of traumatic events and to investigate the conditional risk of PTSD in females and males; to examine the comorbidity between PTSD and SAD, and to verify the associations between number and different categories traumatic events and SAD when controlling for PTSD. METHODS: cross-sectional study with a probabilistic sample of household residents in the Sao Paulo Metropolitan Area (n=2.942). The study is a subproject of the São Paulo Megacity, a counterpart of an international initiative coordinated by the World Health Organization (World Mental Health Survey). The analysis were based in the substance abuse and PTSD sections of the Composite International Diagnostic Interview (CIDI), created to generate diagnoses of the CID-10 and the DSM-IV. The statistical analyses were calculated by the Statistical Analysis System (SAS) software. Prevalence of the diagnosis and their standard errors were calculated, as well as the traumatic events that led to PTSD cases and the conditional risk of PTSD. A series of simple logistic regressions were performed to examine the comorbidity between PTSD and SAD. Multiple regressions were conducted to examine the associations between number and categories of traumas and SUD after controlling for PTSD. RESULTS: lifetime PTSD prevalence was 3.2% (SE=0.2) and last year´s prevalence was 1.6% (SE=0,2). 4.6% of women versus 1.6% of men had lifetime PTSD prevalence (OR 3,0; CI 95% 1.8-4.9); among the PTSD group, the most frequent traumatic event associated with the disorder was sudden unexpected death of relative or/friend ;in females,sexual assault and rape were associated with the highest conditional risk of PTSD and and rape were associated with the highest conditional risk of PTSD in males; comorbidity between PTSD and SAD was found in the sample, however there were differences between males and females related to the pattern of consumption (dependence and abuse) and type of substance (alcohol and drug); in the multiple regression models, number of traumatic events and interpersonal violence were strongly associated with SAD. CONCLUSIONS: comorbidity between PTSD and SAD was found in the sample, and alcohol abuse and number of traumatic events and well as the category of events involving interpersonal violence were particularly important in the association with PTSD INTRODUÇÃO: o Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT) se caracteriza pelo desenvolvimento de sintomas específicos após a ocorrência de um evento traumático intenso, envolvendo a participação direta ou não do indivíduo. A prevalência do TEPT na população pode variar entre 1,4% e 11,2% na vida, sendo que mulheres apresentam uma vulnerabilidade maior para o transtorno, apesar dos homens geralmente serem expostos a um número maior de eventos traumáticos. Além de trazer inúmeros prejuízos na vida do sujeito, observam-se altas taxas de comorbidade entre TEPT e Abuso e Dependência de Álcool e Drogas (ADAD), o que por sua vez está associado a níveis mais graves de psicopatologia, maior comprometimento do funcionamento social global, uso mais freqüente de serviços de saúde e pior resposta ao tratamento. OBJETIVOS: 1) examinar a distribuição de eventos traumáticos e a prevalência de TEPT e ADAD de acordo com o gênero dos indivíduos, 2) identificar a prevalência de TEPT por tipo de evento traumático e o risco condicional de TEPT entre homens e mulheres, 3) examinar a existência de comorbidade entre TEPT e ADAD e 4) verificar as associações entre diferentes tipos de eventos traumáticos e ADAD quando são levados em conta no modelo número de traumas, categorias de eventos traumáticos e fatores sócio-demográficos (gênero, idade, anos de escolaridade, estado civil e renda), controlando para o TEPT. MÉTODOS: estudo de corte transversal com uma amostra representativa da região metropolitana de São Paulo (n=2.942). O trabalho é um subprojeto do São Paulo Megacity, parte de uma iniciativa internacional coordenada pela Organização Mundial de Saúde (World Mental Health Survey). As análises utilizaram dados dos módulos de Abuso de Substâncias e Transtorno de Estresse Pós Traumático do Composite International Diagnostic Interview (CIDI) desenhada para produzir diagnósticos do CID-10 e do DSM-IV. A análise estatística utilizou o programa Statistical Analysis System (SAS). Foram aplicados algoritmos às respostas dos módulos clínicos para identificação diagnóstica e as taxas de prevalência foram calculadas em porcentagens, assim como os erros-padrão. Ainda foram levantados os traumas que ocasionaram o TEPT, bem como os riscos condicionais para o desenvolvimento do transtorno. Foram realizadas análises de regressão logística simples para verificar a comorbidade entre TEPT e ADAD e regressões logísticas múltiplas para explorar as associações entre TEPT e ADAD. RESULTADOS: a prevalência de TEPT na vida foi de 3,2% (EP=0,2) e no último ano de 1,6% (EP=0,2). 4,6% das mulheres e 1,6% dos homens desenvolveram o transtorno na vida (OR 3; IC 95% 1,8-4,9); dentre a população com TEPT, o principal fator que desencadeou o transtorno foi morte inesperada de um ente os principais riscos condicionais para o desenvolvimento de TEPT para a população feminina foram agressão sexual e estupro e para a população masculina, sequestro relâmpago e estupro; foi identificada comorbidade entre TEPT e ADAD, porém houve diferença entre homens e mulheres de acordo com o padrão de consumo de substâncias (dependência e abuso) e categoria de substâncias psicoativas (álcool e drogas); o número de traumas é um fator diretamente associado ao ADAD, sendo que a categoria de eventos envolvendo violência intencional mostrou-se associada a todos os padrões de abuso e dependência de álcool e drogas. CONCLUSÕES: foi identificada comorbidade entre TEPT e ADAD, sendo o número de traumas e a categoria de eventos envolvendo violência intencional particularmente importantes na associação com o ADAD.
Document Type Other
Editor(s) Arthur Guerra de Andrade; Monica Levit Zilberman; Sérgio Baxter Andreoli; Arthur Guerra de Andrade
delicious logo  facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
degois logo
mendeley logo