Detalhes do Documento

Utilização de um sistema de informação geográfica (SIG) para a análise da distr...

Autor(es): Cândido, Ana Teresa Marques Bação cv logo 1

Data: 2003

Identificador Persistente: http://hdl.handle.net/10400.12/383

Origem: Repositório do ISPA - Instituto Universitário

Assunto(s): Etologia; Ethology


Descrição
Dissertação de Mestrado em Etologia Para quem estuda animais em liberdade toma-se extremamente difícil descrever e interpretar comportamentos sem tomar em consideração os constrangimentos ecológicos a que estão sujeitos os indivíduos. A utilização de um Sistema de Informação Geográfica (SIG) permite incorporar com sucesso numa única superfície de análise informação de origem diversa. Trata-se de uma área de investigação relativamente recente e, como tal, pouco explorada, mas com uma expansão já considerável por facilitar a manipulação e interpretação de dados complexos que habitualmente carecem de tratamentos extremamente elaborados. Contudo, a aplicação de métodos avançados para a análise dos movimentos de animas está limitada quase exclusivamente ao meio terrestre. O objectivo último da maioria dos estudos de movimento é comparar os padrões observados com uma hipótese nula para elucidar processos como padrões de distribuição da população, relações entre indivíduos ou selecção do habitat. Tanto o ArcView ® como o Animal Movement Program possuem, ou têm previstas num futuro próximo, funções de análise estatística, mais simples no primeiro caso e diversificadas e totalmente adaptadas a este tipo de estudos no segundo caso, criando um poderoso ambiente para examinar relações entre a espécie (ou o indivíduo) e o meio (ou outros indivíduos). Assim, pretende-se, pela primeira vez, fazer uma análise individual dos comportamentos associados aos movimentos e utilização do espaço em Golfinhos-roazes no estuário do Sado e área costeira adjacente. Efectuou-se um seguimento focal dos Golfinhos-roazes seleccionados a priori para este estudo, com registo contínuo das suas posições (i.e. sempre que foi possível a sua identificação), por forma a maximizar o número de dados recolhido em cada sessão de amostragem. A identificação dos indivíduos efectuou-se no campo, registando-se as coordenadas geográficas, o dia, a hora e as variáveis comportamentais pré-definidas. Alguns golfinhos foram reconhecidos posteriormente por foto-identificação. As informações foram anotadas manualmente em tabelas concebidas para o efeito. Calculou-se pela primeira vez o número mínimo de localizações necessário para estimar áreas vitais fiáveis para a população de Golfinhos-roazes do estuário do Sado, que se considerou como sendo 105. A área vital média estimada para esta população pelo método do Mínimo Polígono Convexo (95%) é de 32,0 km2 (s.d. 11,7 km2), e pelo método de Kemel (95%) de 41,9 km2 (s.d. 11,4 km2), o que se aproxima dos valores descritos para outras populações (entre 15 e 77 km2 para ambientes do tipo baía). As maiores áreas vitais são as de FAC (37,1 km2 MPC, 47,8 km2 K95%) e LUA (44,1 km2 MPC, 50,8 km2 K95%) -ambos adultos, uma fêmea e um macho, respectivamente-, o que parece indicar a inexistência de diferenças relacionadas com o sexo. A localização dos centros de actividade (Kemet 50%) da maioria dos animais observados corresponde à extremidade da Península de Tróia e à zona da Caldeira de Tróia, o que se justificará pela importância em termos de riqueza e disponibilidade de alimento. Pode considerar-se que os Golfinhos-roazes do estuário do Sado apresentam movimentos relativamente amplos, já que muitas vezes estes animais percorrem, apenas no período diurno, uma distância mínima próxima da máxima largura das suas áreas vitais, excedendo os 20 km diários. A velocidade máxima instantânea foi calculada em 32,4 km/h mas as velocidades médias para cada indivíduo raramente excedem 3,6 km/h, valor que se aproxima dos habitualmente descritos para esta espécie. No futuro, em havendo possibilidade de efectuar amostragens nocturnas, de determinar o sexo e a idade dos elementos da população e de obter e incorporar no SIG informação digital georreferenciada sobre variáveis ecológicas e oceanográficas do estuário do Sado, esperam-se interpretações mais consistentes e aprofundadas dos resultados entretanto obtidos.
Tipo de Documento Dissertação de Mestrado
Idioma Português
Orientador(es) Santos, Manuel Eduardo dos
delicious logo  facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
degois logo
mendeley logo