Detalhes do Documento

Leishmaniose visceral humana e canina no município de Imperatriz, Maranhão, Brasil

Autor(es): Castro, Giovana Nogueira de cv logo 1

Data: 2008

Identificador Persistente: http://hdl.handle.net/10400.5/462

Origem: Repositório da UTL

Assunto(s): Leishmaniose visceral humana; Leishmaniose visceral canina; Epidemiologia; Imperatriz; Maranhão; Brasil; Human visceral leishmaniasis; Canine visceral leishmaniasis; Epidemiology; Brazil


Descrição
Dissertção de Mestrado em Saúde Pública Veterinária A leishmaniose visceral foi notificada pela primeira vez em Imperatriz em 1991. A partir de então, casos humanos e caninos da doença têm sido sistematicamente notificados, sendo a espécie Lutzomyia longipalpis o vetor apontado como transmissor da enfermidade. De Janeiro de 2000 a Dezembro de 2005, foram registrados 752 casos humanos autóctones, predominando o sexo masculino, que representou 57% do total de ocorrências. As crianças na faixa etária de 0 a 9 anos representaram 61% dos casos no período. A incidência de casos humanos aumentou a partir de 1998, atingindo um pico de 226 casos em 2002 e vem decrescendo desde então, provavelmente como resultado da intensificação das ações de controle. A letalidade no período foi de 4,8%. Mais de 99% dos enfermos procediam da zona urbana. No mesmo período, 1214 cães foram eutanasiados por serem positivos ao RIFI (1:40) para leishmaniose visceral. As condições socioeconômicas e ambientais encontradas no município assemelham-se às anteriormente descritas por vários autores para a ocorrência e manutenção da doença, podendo destacar-se a intensa migração da população, a degradação ambiental resultante da invasão do homem ao ecótopo do vetor, a abundância do agente transmissor e a grande exposição das populações a este, acompanhadas de insuficientes condições sanitárias em zona urbana e a da manutenção do reservatório canino positivo na área do município. ABSTRACT: Visceral leishmaniasis was notified for the first time in Imperatriz in 1991. Since then, human and canine cases of the disease have been systematically reported and the vector, Lutzomyia longipalpis, was identified. From January 2000 to December 2005, 752 human indigenous cases were reported, of which 57% were males. Children up to nine years of age accounted for 61% of cases. The incidence of human cases increased since 1998, reaching a peak of 226 cases in 2002 and has been falling thereafter, probably reflecting the intensification of the control measures. The case-fatality rate in the period was 4,8%. More than 99% of the diseased people were urban dwellers. During the same period, 1214 dogs were subjected to lethal injection because they yielded positive results to serological tests for visceral leishmaniasis. The socio-economic and environmental conditions found in the municipality are similar to those described by other authors, with regard to the disease occurrence and maintenance. The main factors to be considered are the intense population migration, the environmental degradation that follows the human invasion of the vector ecosystem, the widespread exposure of susceptible individuals to the vector, coupled with inappropriate sanitary conditions and the maintenance of the canine reservoir.
Tipo de Documento Dissertação de Mestrado
Idioma Português
Orientador(es) Gonçalves, Vítor Salvador Picão; Louzã, Armando Carvalho
delicious logo  facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
degois logo
mendeley logo

Documentos Relacionados


    Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia