Detalhes do Documento

Terapia celular com implantes autólogos de células dérmicas e epidérmicas em úlceras cutâneas de pacientes diabéticos

Autor(es): Marcelo Mattos e Dinato

Data: 2010

Origem: OASISbr

Assunto(s): Diabetes Mellitus; Pé diabético; Celulas - Cultura e meios de cultura; Diabetes Mellitus; Diabetic foot; Cells


Descrição
Grande parte das úlceras diabéticas em extremidades inferiores tem difícil cicatrização, representando a causa mais comum de amputação não traumática no mundo. Para pacientes sem resposta à terapêutica clássica como desbridamentos, curativos e antibioticoterapia sistêmica, pode ser excelente indicação a terapia celular. O propósito deste estudo foi avaliar a eficácia de implantes autólogos de células da pele (fibroblastos e queratinócitos) cultivadas "in vitro" e aplicadas com cola de fibrina autóloga em úlceras cutâneas crônicas de 5 pacientes diabéticos (4 DM2 e 1 DM1) com diagnóstico variando de 9 a 34 anos. Foram tratadas 6 úlceras de 4,0 a 36.62 cm2 de tamanho com duração de 4 meses a 20 anos, localizadas em membros inferiores, sem resposta a diversos tratamentos convencionais. Observou-se cicatrização completa em 5 úlceras (83,3%) entre 21 e 120 dias, sendo que a média dos Índices de Cicatrização das Úlceras (ICU) foi de 62%, 75%, 78% e 83%, no 30º; 60º; 90º e 120º dias de evolução, respectivamente. Existe uma correlação entre a velocidade de cicatrização, o tamanho da úlcera e o seu tempo de duração. Não ocorreram reações adversas decorrentes do tratamento. Concluiu-se que, a terapia celular (queratinócitos-fibroblastos) associada à cola de fibrina autóloga mostrou-se uma opção terapêutica eficaz, autóloga, de realização ambulatorial minimamente invasiva que acelerou significativamente o processo de cicatrização das úlceras diabéticas crônicasA great part of diabetic ulcers on the lower extremities have difficult healing and represent the most common cause of amputation worldwide. For patients unresponsive to the classical therapy with debridement, dressings and systemic antibiotic therapy, cell therapy may be an excellent indication. The objective of this study was to assess the efficacy of autologous skin cell (fibroblasts and keratinocytes) implants cultivated in vitro and applied with autologous fibrin glue to chronic skin ulcers of 5 diabetic patients (4 DM2 and 1 DM1) who had been diagnosed between 9 and 34 years before. There were 6 ulcers from 4.0 to 36.62 cm2 in size, with onset between 4 months and 20 years before, located on the lower limbs and unresponsive to several conventional treatments. Complete healing was observed in 5 ulcers (83.3%), after 21 to 120 days and the average of ulcer healing indices (UHI) were 62%, 75%, 78% and 83%, on the 30th, 60th, 90th and 120th days, respectively. There is a correlation between healing time, ulcer size and duration. No adverse reactions derived from the treatment occurred. It was concluded that cell therapy (keratinocytes, fibroblasts) associated with autologous fibrin glue proved to be an effective therapeutic option, minimally invasive and performed on an outpatient basis, that has significantly accelerated the healing of chronic diabetic ulcers
Tipo de Documento Dissertação de Mestrado
Idioma Português
Orientador(es) Maria Beatriz Puzzi; Denise Engelbretch Zantut Wittmann; Marco Andrey Cipriani Frade
delicious logo  facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
degois logo
mendeley logo

Documentos Relacionados