Detalhes do Documento

POLINIZAÇÃO DA MACIEIRA (MALUS DOMESTICA BORKH) NA CHAPADA DIAMANTINA, BA.

Autor(es): Silva, Elizabete Alves

Data: 2013

Origem: OASISbr

Assunto(s): Maçã - Cultivo - Diamantina, Chapada (BA); Polinização por inseto; Abelha - Pólen; Malus domestica Borkh.


Descrição
Estima-se que um terço dos recursos alimentares do ser humano depende diretamente da polinização por insetos, assim o declínio de polinizadores é uma séria ameaça aos sistemas agrícolas (KEVAN, 2004). KLEIN et al (2007) analisando dados de 200 países, selecionados por uma lista da FAO com culturas que representavam 99% da produção global de alimentos, concluíram que frutas, vegetais e produção de sementes de 87 das culturas mais importantes em termos globais dependem da polinização por animais, enquanto 28 não dependem. Esses autores observaram ainda que a maioria dos cultivos poderia sofrer perdas na produção devido a limitação de polinizadores, e dentre estes 13 dependem essencialmente dos polinizadores, 30 têm alta dependência, 27 apresentam dependência moderada e 21 têm pouca dependência. A perda na produção de frutos e de sementes tem sido claramente relacionada à escassez dos serviços de polinização, principalmente em áreas de agricultura intensiva que são geralmente isoladas de áreas naturais (RICHARDS, 2001). Por isso, o desenvolvimento de programas de manejo sustentáveis dos polinizadores e de conservação dos seus habitat naturais, é de fundamental importância para garantir esses serviços (AGUILAR, 2006). Muitos produtores obtêm os serviços de polinização em seus plantios por intermédio do aluguel de colônias de Apis mellifera (KREMEN & OSFELD, 2005), pois além dessas abelhas serem facilmente transportadas entre as plantações, elas são consideradas polinizadores eficientes de diversas culturas, dentre essas a macieira (KHAN & KHAN, 2004). A macieira (Malus domestica Borkh) é uma espécie que apresenta muitos cultivares com alto grau de incompatibilidade, sendo necessário dois ou mais cultivares que permita uma polinização cruzada eficiente (SOSTER & LATORRE, 2007). O que torna os serviços de polinização ainda mais necessários para esta cultura. Portanto o declínio da diversidade e abundância de insetos polinizadores nessa cultura é um importante fator que afeta a sua produtividade (CUTHBERTSON & BROWN, 2006). A maçã pertence à família Rosaceae e subfamília Pomoideae (SOUZA & LORENZI, 2005). A origem da maçã contemporânea é incerta, contudo evidências indicam que foi originada de terras altas entre o Mar Negro, Turquia e Índia, onde se expandiu para o ocidente estabelecendo variedades que resultaram dos vários cruzamentos feitos entre diversas espécies (HOLA, 1981 apud FREITAS, 1995). Atualmente é uma das frutas que engloba maior quantidade de variedades conhecidas, em que 3 a 4 mil variedades são cultivadas em maior ou menor escala, em diferentes partes do mundo (SILVA et al, 2002). No Brasil, o cultivo da maçã é uma atividade relativamente recente, até o inicio da década de 1970, o País importava maçãs que abasteciam o mercado nacional, porém, nos últimos anos obteve um significativo crescimento com a implantação de pomares comerciais na região do sul do país (PAGANINI et al 2004), tornando-se um importante componente da renda agrícola para o País (BRAGA et al, 2001).Atualmente, a cultura da maçã é uma atividade econômica relevante, com repercussão no cenário internacional, contribuindo com cerca de 1,5% da produção mundial, ou seja, aproximadamente 887 mil toneladas (PEREZ, 2006; www.abpm.org.br). O Brasil é praticamente auto-suficiente na produção de maçã e ainda exporta cerca de 10% da produção para mercados externos exigentes, como a Europa e os Estados Unidos (PAGANINI et al 2004). Segundo BRAGA et al (2001), de acordo com informações do Ministério de Desenvolvimento, Industria e Comércio Exterior, as exportações tem se mantido crescente nos últimos anos, atingindo em 2000, 64,5 mil toneladas, com ingresso de aproximadamente 30,8 milhões de dólares no país. Em 2004 registrou-se o recorde nas exportações, na ordem de 153.043 toneladas (FIORAVANÇO, 2009) e com ingresso de 72 milhões de dólares, representando um aumento expressivo em poucos anos e podendo ser um exemplo real da possibilidade de substituição de importações e da ampliação do mercado interno e da conquista de mercado externo por produto de qualidade e competitividade (PEREZ, 2006). Na região Nordeste, a Bahia foi o primeiro a implantar a cultura da macieira (Figura 02), pela Empresa Bagisa S/A Agropecuária e Comércio no município de Ibicoara, Chapada Diamantina (Figura 03), em 2005, tendo como interesse inicial a produção no mercado regional (www.seagri.ba.gov.br). Tendo em vista a importância da polinização nas culturas agrícolas, o presente estudo se propõe a analisar a eficiência do manejo de colmeias empregadas por produtores de maçã (Malus domestica) na região da Chapada Diamantina, Bahia, mais especificamente será avaliado o efeito da distância das colmeias instaladas na área de estudo sobre a taxa de polinização e de visitação das abelhas. Pretendemos contribuir também com informações a cerca da biologia floral, dinâmica de produção de néctar, sistemas de polinização e visitantes florais dessa cultura em áreas tropicais, tendo em vista que a maioria dos estudos foi realizada em áreas temperadas e sabemos que a biologia e fenofases das variedades desta cultura podem ser influenciadas pelo clima, e ou condições físicas como umidade e temperatura. A partir dessas informações, pretendemos ainda, avaliar o déficit dos “serviços” de polinização para essa cultura na região e o papel dos recursos florais da variedade estudada na atratividade dos polinizadores.
Tipo de Documento Dissertação de Mestrado
Idioma Português
Orientador(es) Viana, Blandina Felipe
delicious logo  facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
degois logo
mendeley logo