Document details

Metabolismo do ferro, infeção e imunidade

Author(s): Ramos, Adelina Beatriz Arteiro

Date: 2017

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10284/6644

Origin: Repositório Institucional - Universidade Fernando Pessoa

Subject(s): Ferro; Metabolismo do ferro; Ferro infeção; Ferro imunidade; Hepcidina; Absorção do ferro; Transporte do ferro; Défice de ferro; Excesso de ferro; Iron; Iron metabolism; Iron in infection; Iron in immunity; Hepcidin; Iron absorption; Iron transport; Iron deficiency; Iron overload; Domínio/Área Científica::Ciências Médicas::Medicina Básica; Domínio/Área Científica::Ciências Médicas::Medicina Básica; Domínio/Área Científica::Ciências Médicas::Medicina Básica


Description

O ferro é o quarto elemento mais abundante à superfície terrestre e tem um papel fundamental na proliferação e sobrevivência celular. A homeostasia do ferro é fundamental já que um défice deste leva a uma deficiência no crescimento celular e apoptose, podendo resultar numa anemia. Um excesso de ferro provoca a formação de espécies reativas de oxigénio, agravando a inflamação. Algumas patologias estão associadas a desequilíbrios no metabolismo do ferro tais como a hemocromatose, a aceruloplasminemia e a atransferrinemia. A absorção do ferro ocorre no duodeno proximal, sendo a quantidade de ferro absorvida dependente da quantidade armazenada e da capacidade de armazenamento do organismo. Após a sua libertação no citoplasma, o ferro é conduzido para a membrana basolateral do enterócito, ou armazenado em ferritina. A ferritina desempenha um papel crucial na absorção de ferro. Outras proteínas desempenham um importante papel no metabolismo do ferro, tais como a transferrina (intervém no transporte de ferro) e a hepcidina que faz a regulação das concentrações plasmáticas de ferro. O armazenamento de ferro previne a presença de ferro livre sempre que os níveis de ferro no organismo aumentam, o qual poderia ser utilizado para maior crescimento e virulência de muitos patogénicos microbianos. O sistema imunitário também desenvolveu formas de realizar privação de ferro durante a infeção por microrganismos patogénicos, nomeadamente pela produção de proteínas que competem diretamente com os microrganismos para o ferro.

Iron is the fourth major element on earth and has an important role in proliferation and celular suvival. Iron homeostasis is vital since a deficiency leads to an absence of cell growth and apoptosis, which can result in anemia. An excess of iron causes the formation of oxygen reactive species, aggravating inflammation and is also associated to patologies such as haemochromatosis, aceruloplasminemia and atransferrinemia. The absorption of iron takes place in the proximal duodenum, being the amount of iron absorbed dependent of the stored quantity and of the storage capacity of the organism. After iron release in the cytoplasm, it is conducted to the basolateral membrane of the enterocyte, or stored in ferritin. Ferritin performs a crucial role in iron absorption. Other proteins have an important role on iron metabolism, such as transferrin (intervenes in his trannsport) and hepcidin that makes the regulation of iron plasma concentrations. The storage of iron prevents the presence of free iron when it’s levels increase, since iron is essential for the growth and virulence of the majority of the pathogenic microbials. The imune system has developed ways to deprive pathogenic microorganisms of access to iron, namely though production of proteins that compete directly with the microorganisms for the iron.

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Assunção, Amélia
Contributor(s) Ramos, Adelina Beatriz Arteiro
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents