Document details

Alterações posturais em futebolistas

Author(s): Forte, Pedro Miguel Gomes

Date: 2014

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10198/10867

Origin: Biblioteca Digital do IPB

Subject(s): Assimetrias; Postura; Futebol; Jovens; Prevalência; Factores de risco


Description

Objetivo: Este estudo teve como objetivo, analisar a prevalência dos desvios posturais e a relação que possa existir com o nível competitivo e escalão etário, tipo de coordenação dominante, posicionamento em campo, maturação sexual, níveis de força e flexibilidade em jovens futebolistas. Métodos: A amostra, deste estudo transversal, foi constituída por 47 sujeitos do sexo masculino, com idades entre os 9 e 16 (13.02 + 2.51) anos. Para a avaliação postural foi utilizado o software SAPo com um protocolo adaptado à realidade desportiva do futebol. Para avaliação da maturação sexual recorreram-se aos estádios de pilosidade de Morris e Udry (1980). A força máxima isométrica dos membros inferiores foi medida a 60º para os movimentos de flexão e extensão do joelho com um dinamómetro. A flexibilidade foi medida com goniometria. Recorreu-se a procedimentos de natureza descritiva para a caracterização das variáveis em estudo. A análise comparativa inter grupos e intra grupos foi efetuada com recursos aos testes de Kruskall-Wallis, Mann-Whitney e Tukey, para observação das diferenças entre grupos. Com recurso ao teste de Spearmen procurou-se verificar o tipo e magnitude das correlações entre variáveis. Resultados: Os desvios mais prevalentes para a totalidade da amostra foram, na vista anterior do plano frontal, as diferenças verticais entre os acrómios (72%) e das tuberosidades das tíbias (91%), ao nível da coluna vertebral, verificou se uma relativa prevalência de problemas escolióticos sobretudo na região torácica (79%) e na região lombar (64%). O nível competitivo (benjamins, infantis, iniciados e juvenis), posição em campo (médios e avançados), lateralidade (destros e esquerdinos) e maturação sexual explicaram a existência de diferenças significativas na magnitude dos desvios posturais. Na análise associativa, apenas na vista lateral direita do plano sagital foi observada uma correlação forte da magnitude dos desvios entre as vertebras T3 e T7 com a idade e o escalão competitivo. Conclusão: Os resultados do presente estudo parecem sugerir que os jogadores de futebol jovem, estarão propensos a fatores predisponentes ao desenvolvimento de desvios posturais podendo estes vir a ser, por si só, um factor de risco à ocorrência de lesões futuras e assim limitadoras do desempenho futuro.

Objective: The aim of this study was to analyze the prevalence of postural asymmetries in young soccer players and the relationship with the competitive level and age-group, dominant coordination, field position, sexual maturation, strength and flexibility. Methods: This was a cross-sectional research that 47 children between 9 and 16 years old (13.02 + 2.51) were assessed. For postural evaluation, the SAPo software was selected and the protocol was adapted so that it was assessed the most determinant segments in action during soccer. The age and field position was determined by selfreport. For sexual maturation, hairiness states by Morris and Udry (1980) was assessed. Lower limbs maximal strength was monitored with a for leg flection and extension at 60 degrees with a dynamometer. Flexibility was assessed with a goniometer. Descriptive analysis was selected to characterize these study variables. To compare the statistical differences between the groups, Krusskal-Wallis, Mann-Whitney and Tukey tests was selected. Spearmen test was used to learn if there was any association between assymetries and remaining selected variables. Results: The most prevalent asymmetries were between the acromion’s (72%) and tibias tuberosity’s (91%), at vertebral column escoliotic problems were found at thoracic region (79%) and lumbar region (64%). The competitive level (benjamins, kids, beginners and youth), field position, (midfielders and forwards) and dominant coordination (left- and right-handed) explained the differences in the magnitude of postural asymmetries. There were strong correlations between the different forms of strength (agonists and antagonists in the lower limbs. For postural parameters, only horizontal asymmetry in right side view of the sagittal plane, between T3 and T7 vertebras, showed a strong correlation with age and competitive level. Conclusion: The finidings of this study suggest that young soccer players are more likely to development posture asymmetries, being the latest a risk factor for injuries and hence limiting the future performance.

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Reis, A.; Barbosa, Tiago M.
Contributor(s) Forte, Pedro Miguel Gomes
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents