Document details

Interações do tabagismo com a terapêutica farmacológica

Author(s): António, Mara Guedes

Date: 2013

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.26/14164

Origin: Egas Moniz - Cooperativa de Ensino Superior, CRL

Subject(s): Citocromo P450; Tabaco; Interações farmacocinéticas; Interações farmacodinâmicas


Description

O cigarro é constituído por inúmeras substâncias, nomeadamente a nicotina, os hidrocarbonetos aromáticos policíclicos, o alcatrão, o monóxido de carbono, a acetona, a amónia, o cádmio, o formaldeído entre outros. O tabagismo está intimamente relacionado com numerosas patologias, já amplamente estudadas, onde se incluem, entre diversas outras, o cancro do pulmão, outras patologias respiratórias e alterações vasculares. Devido ao grande consumo de tabaco, um dos problemas que o tabagismo pode desencadear é a possível interação com a medicação que os doentes fumadores fazem. Assim, revela-se importante analisar as possíveis interações entre as substâncias existentes no cigarro e a terapêutica medicamentosa, de forma a detetar e prevenir eventuais reações adversas ou alterações da eficácia farmacológica dos medicamentos. Estão descritas interações farmacocinéticas e farmacodinâmicas entre o tabaco e fármacos como os antipsicóticos, as benzodiazepinas, os antihipertensores, os antiarrítmicos, a insulina e os opióides. As interações farmacocinéticas derivam maioritariamente da indução do metabolismo hepático por parte dos hidrocarbonetos aromáticos policíclicos. Por outro lado, a nicotina também poderá afetar o metabolismo hepático mas por inibição enzimática, ou interferir no processo de excreção de alguns fármacos. O monóxido de carbono e o cádmio presentes no cigarro poderão também interferir no metabolismo dos fármacos, porém existem poucos estudos sobre o impacto das suas ações sobre a terapêutica medicamentosa. As interações farmacodinâmicas estão descritas como resultantes de efeitos idênticos ou antagonistas entre a nicotina e fármacos como as benzodiazepinas, os bloqueadores beta-adrenérgicos, a cafeína, os opióides ou o ácido acetilsalicílico. As interações entre os fármacos e o tabaco devem, pois, ser tidas em consideração quando se estabelece uma terapêutica medicamentosa para prevenir uma diminuição da eficácia da terapêutica ou toxidade dos fármacos.

Dissertação para obtenção do grau de Mestre no Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Costa, Isabel Margarida
Contributor(s) António, Mara Guedes
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents