Document details

Motivação no trabalho e perceção da orientação empreendedora dos enfermeiros

Author(s): Andrade, Cláudia Virgínia dos Santos

Date: 2013

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.26/16197

Origin: Escola Superior de Enfermagem de Lisboa

Subject(s): Motivação; Empreendedorismo


Description

Enquadramento: O desempenho das organizações é cada vez mais importante para o sucesso das mesmas. A capacidade de se posicionar corretamente perante aos desafios da atualidade exige revisões constantes de metas e estratégias em todas as áreas. Neste sentido, é cada vez mais claro que o sucesso de planos e estratégias depende de pessoas comprometidas com a missão e com os objetivos das organizações, assim como com o desenvolvimento de uma série de competências para que as pessoas estejam à altura de assumir desafios e, como tal, é necessário que os colaboradores se sintam motivados para o trabalho. Objetivos: Avaliar a motivação dos enfermeiros no exercício da sua atividade profissional; identificar as determinantes que influenciam a motivação dos enfermeiros no trabalho; avaliar a perceção dos enfermeiros face à orientação empreendedora da organização em que trabalham. Métodos: O estudo empírico decorreu em duas fases ou estudos distintos, mas interligados entre si. O primeiro estudo, de natureza quantitativa, do tipo descritivo-correlacional e transversal, com recurso à aplicação de questionários, inclui a escala Multi-Factorial de Motivação no Trabalho. A amostra é não probabilística por conveniência, constituída por 109 enfermeiros. O segundo estudo, de características qualitativas, com recurso à aplicação de uma entrevista semiestruturada a 8 enfermeiros. Resultados: Os enfermeiros, de uma forma geral, estão motivados para o trabalho, com índices de motivação a oscilar entre 21.88 e 27.77, para as dimensões “organização no trabalho” e “realização/poder”, respetivamente. Encontraram-se significâncias estatísticas para as dimensões “realização/poder” (género, estado civil e tempo de serviço na instituição), “desempenho profissional” (estado civil, categoria profissional e tipo de instituição) e “organização no trabalho” (tipo de instituição e tempo de serviço na instituição). No segundo estudo infere-se haver uma relação entre as dimensões “organização no trabalho” e “envolvimento no trabalho” e a perceção sobre a orientação empreendedora da instituição; os enfermeiros reconhecem as dimensões da orientação empreendedora sugeridas por Duarte e Esperança (2012), embora refiram que algumas instituições valorizam e implementam tardiamente os projetos/ideias sugeridos, devido à resistência à mudança/medo de arriscar. Conclusão: Os enfermeiros, apesar das dificuldades que estão a passar neste momento, encontram-se motivados para o trabalho, reconhecendo também uma relação entre a motivação e a orientação empreendedora da instituição.

Mestrado, Gestão em Enfermagem, 2013, Escola Superior de Enfermagem de Lisboa

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Ramalhal, Maria Teresa
Contributor(s) Andrade, Cláudia Virgínia dos Santos
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents