Document details

Alteração celular e adesão microbiana in vivo de uma resina acrílica usada em prótese removível: estudo piloto

Author(s): Delgado, António Luís Sardinha Henriques Sales

Date: 2017

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.26/18921

Origin: Egas Moniz - Cooperativa de Ensino Superior, CRL

Subject(s): Adesão microbiana; Citologia; in situ; Polimetilmetacrilato


Description

Introdução: A resina acrílica convencional de polimetilmetacrilato é largamente usada no fabrico de próteses removíveis devido às suas características ideais. Apesar disto, sabe-se que esta resina acrílica é suscetível à colonização microbiana e pode causar respostas inflamatórias e alérgicas. Objetivos: Avaliar a adesão microbiana inicial in situ e a resposta in vivo do palato a uma resina acrílica usada em prótese removível. Materiais e Métodos: Discos de ProBase® Hot de dimensões calibradas, preparadas e polidas para uso clínico foram colocados na superfície interior e exterior de dispositivos intra-orais formados individualmente para cada um dos 50 participantes. Os dispositivos foram usados durante 4 horas sob as mesmas condições. Previamente, recolheu-se uma zaragatoa de controlo para comparação microbiológica. Após o tempo de estudo, cada dispositivo foi retirado e a amostra de resina processada. Foi efetuado um esfregaço por citologia oral esfoliativa da zona do palato em contacto com a resina acrílica com recurso a um microbrush. Foi avaliada a contagem total de microrganismos anaeróbios, aeróbios, Pseudomonas, Streptococcus, leveduras, Staphylococcus e Streptococcus mutans através da inoculação de meios microbiológicos ricos e seletivos. Os resultados foram expressos em CFU/mm2. Os esfregaços citológicos foram submetidos à coloração Papanicolaou, observados a um microscópio e classificados adequadamente. Resultados: 84% das amostras provenientes da resina acrílica mostraram alterações do rácio núcleo-citoplasma e mais de 60% revelaram alterações morfológicas nucleares. Com exceção às leveduras e Pseudomonas, todos os grupos de microrganismos colonizaram a resina acrílica. Não houve diferenças estatisticamente significativas entre os dois grupos. Conclusão: Verificaram-se indícios citológicos de alterações celulares mas um diagnóstico de inflamação permanece inconclusivo. A adesão microbiana à resina acrílica foi franca, com adesão de vários grupos de microrganismos.

Dissertação para obtenção do grau de Mestre no Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Félix, Sérgio; Silva, Eduarda; Nascimento, Teresa
Contributor(s) Delgado, António Luís Sardinha Henriques Sales
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents