Document details

Liderança em enfermagem e o burnout nos enfermeiros

Author(s): Coelho, Fernando Jorge Cabaço

Date: 2017

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.26/20964

Origin: Escola Superior de Enfermagem de Lisboa

Subject(s): Liderança; Enfermagem; Gestão em enfermagem; Burnout


Description

O burnout segundo Maslach & Jacksom (1981, 1986) um síndrome caraterizado por uma elevada exaustão emocional e despersonalização e uma baixa realização pessoal que pode ter impactos negativos na saúde dos trabalhadores. Os enfermeiros têm grande risco de desenvolver burnout pois o seu contexto laboral é stressante. Marôco, et al. (2016), num estudo sobre o burnout em Portugal, identificaram que 50% dos enfermeiros (n=1262) tem burnout elevado pelo que se justifica identificar os seus antecedentes e formas de prevenção. O Leader- Member- Exchange (LMX) é uma forma de liderança relacional onde líder e colaborador interagem dentro de um contexto profissional específico. Em enfermagem o LMX é uma estratégia de liderança com impactos positivos no burnout (Gaspar, 2005). Este estudo tem assim como principal objetivo analisar a qualidade existente nas relações entre os enfermeiros gestores e os enfermeiros prestadores de cuidados diretos e a existência de burnout nos segundos. Como objetivos específicos pretendeu-se: conhecer o grau de qualidade nas relações entre o enfermeiro gestor e os enfermeiros; identificar o nível exaustão emocional, despersonalização e realização pessoal nos enfermeiros prestadores de cuidados diretos e relacionar a qualidade da relação entre as chefias de enfermagem e o burnout dos enfermeiros. Realizou-se um estudo quantitativo, descritivo-correlacional. A população alvo foram 212 enfermeiros de um Centro Hospitalar na Região Metropolitana de Lisboa a quem se aplicou um questionário de autopreenchimento. Em termos de resultados salientam-se os seguintes: a relação qualidade chefe-enfermeiro foi considerada entre moderada a elevada. Quanto ao nível de burnout constatou-se que as dimensões exaustão emocional e despersonalização têm pontuações médias e a dimensão realização pessoal valores elevados. Comparando com o estudo de Marôco, et al. (2016), verificou-se que os enfermeiros deste estudo manifestam menos burnout. Os resultados não revelam a existência de correlação direta entre a relação chefe- enfermeiro e a existência de burnout contrariando resultados obtidos em outros estudos. Face a estes resultados concluiu-se que, globalmente, as chefias deste Centro Hospitalar mantêm relações de alguma qualidade com os seus colaboradores podendo, contudo, haver um maior investimento nas mesmas. Apesar, de não se ter verificado associação entre a relação das chefias com os enfermeiros e a existência de burnout o nível de qualidade desta relação poderá ter impacto em outras outcomes que importa investigar.

Document Type Master thesis
Language German
Advisor(s) Potra, Teresa
Contributor(s) Coelho, Fernando Jorge Cabaço
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo