Document details

Influência da concentração de CO2 na aclimatização de plantas de castanheiro regeneradas in vitro

Author(s): Coelho, Maria Teresa Pita Pegado Gonçalves Rodrigues

Date: 1999

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10174/13550

Origin: Repositório Científico da Universidade de Évora

Subject(s): Aclimatização; Castanheiro; CO2; Fotossíntese; Micropropagaçção; Acclimatization; Chestnut; Photosynthesis; Micropropagation


Description

Este trabalho teve como objectivo avaliar a influência da concentração de CO2 na fase de aclimatização de plantas de castanheiro regeneradas in vitro. Estudaram-se duas concentrações de CO2, 350 μL L-1 e 700 μL L-1 e os seus efeitos foram avaliados por análise de crescimento, anatomia foliar, concentração de clorofilas, parâmetros fotossintéticos e concentração foliar de proteína solúvel total. Não tendo tido influência na sobrevivência, o nível de CO2 provocou diferenças no desenvolvimento vegetativo das microplantas e parâmetros como crescimento relativo, razão de peso seco parte aérea / raiz, área foliar específica e razão de área foliar mostraram ser significativamente incrementados pela maior concentração de CO2. No caso das plantas aclimatizadas a CO2 ambiente só os parâmetros do sistema radicular se mostraram superiores. Verificou-se uma gradual adaptação das estruturas histológicas das folhas ao longo do decorrer do processo, como consequência dos decréscimos de humidade em que se foram desenvolvendo e não tanto como uma resposta ao nível de CO2 utilizado. As novas folhas formadas possuem células do mesófilo e do cilindro vascular mais diferenciadas e uma reduzida frequência estomática. Os estudos feitos sobre trocas gasosas revelaram taxas de fotossíntese aparente idênticas para os dois grupos de plantas, apesar dos valores de clorofila total serem superiores para as plantas aclimatizadas a CO2 ambiente. No entanto, as plantas aclimatizadas a CO2 elevado apresentaram uma razão clorofila a / clorofila b bastante superior, permitindo assim compensar a menor quantidade em clorofila total. Este facto poderá também contribuir para as diferenças significativas registadas na capacidade fotossintética (Amax.), em que as plantas aclimatizadas a CO2 elevado apresentaram valores próximos do dobro comparativamente aos das plantas aclimatizadas a CO2 ambiente. Idêntico comportamento se verificou com os valores do rendimento quântico e ponto de compensação para a luz sempre mais favoráveis para as plantas aclimatizadas a CO2 elevado. ### Abstract - The effects of two CO2 concentrations during acclimatization were investigated in micro propagated chestnut plants and evaluated by growth analysis, leaf anatomy, photosynthesis, chlorophyll's and soluble protein content. The used levels of CO2 have no effects on plant survival, but the higher level (700 μL L-1) was associated to a vigorous growth expressed by an increase on relative growth, shoot root ratio, specific leaf area and leaf area ratio. The lower CO2 level L L-1 (350μL L-1) only increased the root parameters. Leaf characteristics were modified during acclimatization as consequence of decreasing humidity, and not as a response between the two CO2 levels, and the new leaves formed had a more differentiated mesophyll cells, more vascular and support tissues in mid rib veins and a reduced stomatal frequency. Pigment content was higher in plants acclimatized at lower CO2 level, but chlorophyll a/b ratio was signifying scantly lower when compared to plants acclimatized under elevated CO2. The net photosynthesis rate was similar in both treatments but the plants acclimatized at elevated CO2 showed a significant increase in maximum photosynthetic rate (Amax), light saturated point and quantum yield and a lower light compensation point, which reveals their best physiological development.

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Contributor(s) Gonçalves, José Carlos
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents