Document details

Gerir as competências: um desafio para as chefias de equipa em enfermagem numa unidade hospitalar do sector público

Author(s): Frade, Manuel Tomé Punilhas

Date: 2006

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10174/16134

Origin: Repositório Científico da Universidade de Évora

Subject(s): Chefia de equipa; Competências; Enfermagem; Gestão de competências; Organização; Commandes of equips; Abilities; Nursing; Management of abilities; Organization


Description

Ao Analisar as competências individuais e Organizacionais que os Enfermeiros devem ter para serem chefes de equipa num hospital público da região de Lisboa, delineamos os objetivos específicos: Identificar e caracterizar as competências Individuais e Organizacionais dos Enfermeiros chefes de equipa e Compreender as implicações das competências individuais na gestão das competências organizacionais dos enfermeiros chefes de equipa. Utilizamos foi o método quantitativo, sendo este um estudo descritivo e exploratório que decorreu num hospital público da região de Lisboa. A amostra foi constituída' por 187 enfermeiros. O inquérito por questionário, e composto por uma parte de avaliação Sócio- demográfica e profissional, outra pela escala de Competências de Manuel Frade. Os resultados mais pertinentes foram no que respeita aos Domínios 8 (Liderança e Formas de Pensamento em Competências) (M = 2,03) e 7 (M = 1,98) apresentam os valores mais elevados. Em oposição, o domínio 5 (Competências de Liderança) (M = 1,63) regista o valor mais baixo quando se considera a totalidade da amostra. Considerarmos as Competências Individuais (Domínio 6, Competências em Ciências de Enfermagem) influencia os domínios 2 (Competências de Planeamento Desenvolvimento de Politicas de Saúde), 3 (Competências de Comunicação), 4 (Competências Culturais) e 8 (Liderança e Formas de Pensamento em Competências), verificamos correlações estatisticamente significativas. Considerando que as Competências Organizacionais (Domínio 7) influenciam os domínios 3 (Competências, de Comunicação), 5 (Competências de Liderança), 6 (Competências em Ciências de Enfermagem) e 8 (Liderança e Formas de Pensamento em Competências), verificamos que estes apresentam associações fortes. Podemos ainda afirmar que existe uma correlação entre o Domínio 6 (Competências em Ciências de Enfermagem) e o Domínio 7) (Competências de Gestão) que e considerada forte e dai poderemos concluir que ambos os domínios se influenciam mutuamente e de forma exponencial. Podemos ainda afirmar que as competências não variam consoante as variáveis sócio-demográficas e profissionais. Assim, podemos concluir que aceitamos e validamos a nossa primeira hipótese (H1 - Não existem diferenças significativas ao nível dos domínios de competências em termos de características individuais, características sociodemográficas e profissionais) não existe diferenças significativas entre grupos. Com intuito de encontrar o perfil ideal para o enfermeiro chefe de equipa (H2- Os Domínios de Competências não são mutuamente exclusivos no quadro de ação dos Chefes de Equipas) foi realizada uma análise factorial da qual se obtiveram após rotação variam com normalização de Kaiser, dez fatores, estes foram submetidos, ao coeficiente de alfa de Cronbach para avaliar a homogeneidade. Os fatores com maior homogeneidade são os fatores 1 (α- Cronbach do Fator 1 e 0.9092) e 2 (α - Cronbach do Fator 2 e 0.8878), assim a partir destes traçamos o perfil de competências dos enfermeiros chefes de equipa. Podemos concluir que aceitamos e validamos a nossa segunda hipótese (H2), e desta forma podemos afirmar que os domínios de competências não são mutuamente exclusivos segundo esta análise fatorial e que para nos o perfil de competências ideal para os enfermeiros chefes de equipa e aquele que comporte o ser Proficiente em, Competências de Comunicação, Competências Culturais, Competências de Liderança, Competências das Ciências de Enfermagem, Competências de Gestão e por último Liderança e Formas de Pensamento em Competências. /ABSTRACT - To Analyser the abilities Individuals and Organizationally that the Nurses must have to be heads of equip in a public hospital of the region of Lisbon, delineate the specific- objectives: To identify and to caracterize the abilities Individuals and Organizationally of the Nurses heads of equip and To understand the implications of the individual abilities in the management of the organizationally abilities of the nurses heads of equips. We use was the quantitative method, being this a descriptive and exploratory study that elapsed in a public hospital of the region of Lisbon. The sample was constituted by 187 nurses. The inquiry for questionnaire is composed for a part of Partner-demographic and professional evaluation, another one for the scale of Abilities of Manuel Frade. The results most pertinent had been in what it respects to Dominies 8 (Leadership and Forms of Thought in Abilities) (M = 2, 03) and 7 (M = 1, 98) present the values highest. In opposition, domain 5 (Abilities of Leadership) (M = 1, 63) register the value lowest when the totality of the sample is considered. To consider the Individual Abilities (Domain 6, Abilities in Sciences of Nursing) influence dominies 2 (Abilities of Planning and Development of Politics of Health), 3 (Abilities of Communication), 4 (Cultural Abilities) and 8 (Leadership and Forms of Thought in Abilities), we verify significant correlations statistical. Considering that the Organizationally Abilities (Domain 7) influence dominies 3 (Abilities of Communication), 5 (Abilities of Leadership). 6 (Abilities in Sciences of Nursing) and 8 (Leadership and Forms of Thought in Abilities), we verify that these present strong associations. We can still affirm that a correlation exists enters Domain 6 (Abilities in Sciences of Nursing) and Domain 7 (Abilities of Management) that it is considered strong and from there we will be able to conclude that both the dominies if influence mutually and of exponential form. We can still affirm that the abilities do not vary consonant the partner- demographic and professional 0 variable. Thus, we can conclude that we accept and we validate our first hypothesis (H1 - significant differences to the level of the dominies of abilities in terms of individual, characteristic characteristics partner-demographic and professional do not exist) does not exist significant differences between groups. With intention to find the ideal profile for the nurse head of it equips (H2 - the Dominies de Competencies is not mutually exclusive in the picture of share of the Heads of Equips) was carried through an factorial analysis of which if they had gotten rotation after varimax with normalization of Kaiser, ten factors, these had been submitted to the coefficient of alpha of Cronbach to evaluate the homogeneity. The factors with bigger homogeneity are factors 1 (α- Cronbach of Factor 1 are 0, 9092) and 2 (α - Cronbach of Factor 2 is 0, 8878), thus from these we trace the profile of abilities of the nurses heads of equips. We can conclude that we accept and we validate ours second hypothesis (H2), and in such a way can affirm that the dominies of abilities are not mutually exclusive as this factorial analysis and that for us the ideal profile of abilities for the nurses heads of equips is that one that holds the Proficient being in, Cultural Abilities of Communication, Abilities, Abilities of Leadership, Abilities of Sciences of Nursing, Abilities of Management and finally Leadership and Forms of Thought in Abilities.

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Contributor(s) Silva, Carlos Alberto da
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents