Document details

As tarefas de busca visual da cor na avaliação perceção visual: um estudo exploratório com crianças com e sem necessidades educativas especiais

Author(s): Filipe, Ana Elisabete Chora

Date: 2015

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10174/16681

Origin: Repositório Científico da Universidade de Évora

Subject(s): Busca visual dijuntiva; Perceção visual; Cor; Felicidade; Disjunctive visual search; Visual perception; Color; Happiness


Description

A presente investigação traduziu-se na exploração da utilização das tarefas de busca visual na avaliação da perceção da cor em crianças, procurando saber se é possível objetivar algum dos construtos da felicidade. Para isso, partiu-se do pressuposto de que a busca visual dijuntiva da cor é uma medida objetiva que permite indagar acerca do funcionamento mental (e.g., Fodor, 1985; Treisman, 1986, 1999; Colaço, 2005) e este, por sua vez, um indicador do bem estar subjetivo, como constructo da felicidade. Admitindo que a cor é uma característica que é processada de forma paralela, autónoma e pré-atentivamente, sendo apenas integrada numa fase posterior (Treisman & Gelade, 1980; Treisman, 1986; Wolfe, 1998), foram levadas a cabo duas experiências cujo objetivo era detetar o alvo entre distratores, presentes em cenários visuais digitais. Para a primeira experiência, utilizaram-se as assimetrias (Theeuwes, 1991; Treisman & Gormican, 1988; Wolfe, 2001) das cores azul e amarelo (pertencentes ao mesmo canal cor-oponente) e para a segunda experiência, utilizaram-se as cores verde e azul (pertencentes a diferentes pares cor-oponente). A amostra, por conveniência e exploratória, foi constituída por 38 crianças de ambos os sexos (n = 38), entre os 6 e os 12 anos de idade (M = 9 anos), residentes no distrito de Santarém e que constituíram dois grupos: um grupo reuniu as crianças que beneficiavam de programas educativos especiais, dado estarem abrangidos pelo decreto lei nº 3/2008, de 7 janeiro, e um segundo grupo, onde as crianças não beneficiavam de qualquer apoio no que diz respeito à adaptação de currículos específicos, logo, sem necessidades educativas especiais. Os resultados do modelo geral linear de medidas repetidas não mostraram diferenças significativas entre os grupos, mostrando apenas diferenças significativas dos tempos de reação médios no que ao processamento da cor diz respeito, independentemente do grupo a que pertenciam as crianças. Pode-se pensar que nas crianças com necessidades educativas especiais, a intervenção implícita no processo permitiu que o processamento de informação cor atingisse os tempos de reação esperados ou que as crianças com necessidades educativas especiais não apresentam dificuldades cognitivas de base; The visual color search tasks in the evaluation of visual perception: An exploratory study with children with and without special educational needs Abstract: This research resulted in the exploration of the use of visual search tasks in evaluating the perception of color in children, in order to know whether it is possible to objectify any happiness constructs. Therefore, we start with the assumption that the disjunctive visual color search is an objective measure that allows us to question the mental functioning (eg, Fodor, 1985; Treisman, 1986, 1999; Colaco, 2005) and this in turn, is an indicator of subjective well-being, and happiness of the construct. Assuming that the color is a feature that is processed in parallel, separate and pre-attentively and only integrated at a later stage (Treisman & Gelade, 1980; Treisman, 1986; Wolfe, 1998) two experiments were performed, of which the aim was to detect the target among distractors present in digital visual scenarios. For the first experiment, the asymmetries (Theeuwes, 1991; Treisman & Gormican, 1988; Wolfe, 2001) of blue and yellow colors (belonging to the same color-opposing channel) were used and for the second experiment, the green and blue colors (belonging to different color-opponent pairs) were used. The sample for convenience and exploratory, consisted of 38 children of both sexes (n = 38) between 6 and 12 years old (M = 9 years), residing in the district of Santarem, constituting two groups: one with children benefiting from special educational programs, and a second group, with children without special educational needs. The results of the general linear model for repeated measures showed no significant differences between groups, showing only significant differences in average reaction times in relation to the color processing, regardless of the group the children belonged to. One might think that in children with special educational needs, the implied intervention of the process allowed the color information process to reach the expected reaction times, or that children with special needs do not have basic cognitive difficulties.

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Contributor(s) Colaço, Nuno Miguel Rosa Valente
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents