Document details

Estudo do fabrico e da degradação de azulejos portugueses históricos

Author(s): Brito, Maria de Lurdes Moura Lopes Esteves

Date: 2017

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10174/21964

Origin: Repositório Científico da Universidade de Évora

Subject(s): Azulejo histórico; Degradação de azulejos; Historical azulejo; Degradation of azulejos


Description

O uso ininterrupto do azulejo em Portugal durante mais de cinco séculos estabeleceu um gosto nacional e definiu um entendimento deste tipo de revestimento sem paralelo noutros países. Esta herança cultural única é contudo frágil e sujeita a um decaimento contínuo. Muitos casos de degradação estão associados a eflorescências que são comummente apontadas como responsáveis. Mas a sua presença não é constante e pode ser circunstancial. Foram reflexões deste tipo que conduziram à investigação cujos resultados agora se apresentam. A compreensão das causas da degradação e do papel dos seus agentes requer um conhecimento de base das matérias-primas e das técnicas da sua transformação, o que conduziu a incluir no presente trabalho um levantamento dos antigos processos de fabricação dos azulejos, desde finais do séc. XVI até ao século XIX. Para a sistematização das formas de degradação in situ, correlacionando-as, quando possível, com a ocorrência de eflorescências, foram inspecionados 31 imóveis azulejados, distribuídos pelo território continental português. As eflorescências resultam da secagem dos corpos cerâmicos dos azulejos molhados por soluções provenientes dos suportes. A avaliação da perigosidade de diversas dessas possíveis soluções foi feita através de ensaios de envelhecimento acelerado que pretenderam simular em laboratório condições que podem ter ocorrido em obra, com o objetivo de tentar reproduzir a degradação física encontrada, correlacionando-a com uma agressão que a possa ter causado. Para a parte experimental foram utilizados azulejos portugueses dos séculos XVII ao XIX, alguns dos quais com fragilidades iniciais constituídas por defeitos de fabricação ou por degradações anteriores. Conseguiu-se reproduzir, quer fases iniciais de degradação, quer o aprofundamento de estados patológicos já existentes. Em particular obteve-se experimentalmente, cremos que pela primeira vez, o destacamento do vidrado sem material cerâmico aderente provando-se que, pelo menos nalguns casos, resulta de um ataque alcalino à interface entre o vidrado e a chacota; Study of the manufacture and decay of historic portuguese azulejos Abstract: The uninterrupted use of azulejos in Portugal for over five centuries established a national style and led to an understanding of this kind of lining unparalleled in other countries. However, this unique cultural legacy is fragile and subject to continuous deterioration. Efflorescence is often seen on decayed azulejos, leading to a cause-effect association. But its presence may also be circumstantial. Considerations of this kind led to the research, the results of which are now presented. Understanding the causes of decay and the role of its agents calls for knowledge of the raw materials and the techniques behind the production of azulejos, which led to a survey of how they were produced. To systematise the forms of deterioration in situ, correlating them with the occurrence of efflorescence, a total of 31 properties decorated with azulejos were inspected throughout mainland Portugal. Efflorescence results from the drying of the ceramic bodies of azulejos moistened by solutions that percolate through the walls. The danger posed by different solutions was assessed through accelerated ageing tests that intended to simulate in the laboratory the conditions that would be found on sites, so as to try and replicate under controlled conditions the physical deterioration found, correlating it with its agents. For the tests, 17th to 19th century Portuguese azulejos were used, some of them with initial frailties owing to production defects or previous deterioration. It was possible to reproduce both the onset of decay, and the worsening of pre-existing damage. In particular we obtained, we believe for the first time, the detachment of the glazes with no ceramic material attached, proving that, at least in some cases, that recurring form of decay is the result of an alkaline attack to the interface between the glaze and the biscuit.

Document Type Doctoral thesis
Language Portuguese
Contributor(s) Mimoso, João Manuel; Candeias, António Estevão; Rodrigues, Paulo Simões
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents