Document details

Variáveis psicossociais nas doenças cardíacas congénitas

Author(s): Melo, Stefanie Anne Reis

Date: 2015

Origin: Repositório CESPU

Subject(s): Cardiopatias congénitas; Desempenho neurocognitivo; Qualidade de vida; Morbilidade psiquiátrica; Ajustamento psicossocial; Traços de personalidade


Description

Estudar o desempenho neurocognitivo (DP) de pacientes com cardiopatias congénitas (CC) e determinar se está relacionado com parâmetros do desenvolvimento fetal registrados ao nascer, perímetro cefálico (PC), peso (P) e comprimento (C) e os parâmetros neonatais (APGAR 1, 5); estudar a sua qualidade de vida (QV), a morbilidade psiquiátrica (MP), o ajustamento psicossocial (AP) e traços de personalidade (TP). Participaram 266 pacientes com CC, 148 do sexo masculino, com idades compreendidas entre os 12 e os 30 anos (média= 16.00 ±3.22), 103 cianóticos e 119 indivíduos do grupo de controlo (56 homens, média de idade=18.41 ±3.20). Foram recolhidos dados clínicos. Na avaliação neuropsicológica foram incluídos a prova de dígitos e a prova de código de Weschler (direto e indireto), a Figura Complexa de Rey, a prova da procura da chave da BADS, o teste de cores e palavras (Stroop), o Trail Making Test (A, B), e a prova de memória lógica. Os participantes foram entrevistados sobre o suporte social, estilo educativo, imagem corporal, limitações físicas, entrevista psiquiátrica completa (SADS-L) e questionários de auto-avaliação sobre a QV (WHOWOL-BREF), o AP (YSR e ASR) e TP (NEO-FFI). Também foram recolhidos o PC, o P e o C e o APGAR. Pacientes com CC têm pior DP que o grupo de controlo; menor peso registado ao nascer e menor relato de externalização são preditores de um pior DP; menor amabilidade como traço de personalidade é o único preditor da MP e QV mais pobre; em termos de AP no auto-relato, menor amabilidade, ser do sexo feminino e relatar uma competência física limitada prevê uma capacidade inferior de internalização, e menor idade e desempenho escolar insatisfatório prevê uma capacidade de externalização mais pobre; finalmente, os cuidadores relatam os cuidados intensivos como preditores de uma pior capacidade de externalização.

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Contributor(s) Melo, Stefanie Anne Reis
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents