Document details

O papel do médico de família atribuído ao doente, no conhecimento do diagnóstico da sua diabetes mellitus

Author(s): Gonçalves, Susana ; Salvador, Mário Rui ; Quinaz Romana, Guilherme ; Nunes, Baltazar

Date: 2018

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.18/6128

Origin: Repositório Científico do Instituto Nacional de Saúde

Subject(s): Diabetes Mellitus; Medicina Geral e Familiar; Awareness; Estudo Epidemiológico Observacional Transversal Analítico; Determinantes da Saúde e da Doença


Description

Introdução: A Diabetes Mellitus (DM) apresenta uma história natural silenciosa, sendo um dos desafios atuais o seu subdiagnóstico. No entanto, o subdiagnóstico, quer por inexistência de médico, quer por deficiências na prestação de cuidados, não é o único fator associado ao awareness, também os fatores individuais o são. O aumento do conhecimento dos doentes e dos médicos que os seguem acerca da doença é fundamental para a prevenção de complicações e para diminuir o peso global da DM. O objetivo do estudo foi estimar a associação entre a existência de médico de Medicina Geral e Familiar (MGF) atribuído pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS) e o awareness de DM, em doentes a residir em Portugal há mais de 12 meses, com idade entre os 25 e os 74 anos, no ano de 2015. Metodologia: Estudo epidemiológico transversal analítico com base na análise secundária dos dados obtidos no Inquérito Nacional de Saúde com Exame Físico (INSEF) entre fevereiro e dezembro de 2015. Dos 4911 participantes, foram estudados os 495 que cumpriam pelo menos 1 dos critérios de inclusão: HbA1c ≥ 6,5% ou diagnóstico de DM ou estar sob terapêutica antidiabética. As variáveis foram divididas: na variável outcome awareness, na variável de exposição “ter médico de MGF atribuído” e num grupo de variáveis independentes considerados potencias fatores de confundimento da associação. A análise estatística teve uma parte descritiva, e uma parte inferencial, que permitiu estimar a associação entre o doente ter MGF atribuído pelo SNS, e o conhecimento e diagnóstico de DM ajustado para confundimento, recorrendo a um modelo de regressão de Poisson. Resultados: A maioria dos diabéticos portugueses identificados estavam aware da doença (87,7%) e tinham médico de MGF atribuído (89,6%). A proporção do awareness da DM em doentes é maior quando estes têm médico de MGF, comparativamente aos que não têm este profissional de saúde atribuído (90,8%vs.61,3%). Observou-se uma associação positiva entre a existência de médico de MGF atribuído e o awareness da DM em doentes, expressa por uma Razão de Prevalência=1,46 (IC95%:1,01-2,10), ajustada para o confundimento. Discussão: Apesar das limitações, a associação encontrada sugere que nos doentes com MGF o conhecimento da sua condição é 46% superior aos que não tem MGF. Este resultado reforça a importância da existência de MGF atribuído a utentes diabéticos, no sentido de melhorar o conhecimento da sua patologia e, assim, permitir ganhos em saúde nesta população.

Menção Honrosa na categoria Investigação.

Document Type Conference object
Language Portuguese
Contributor(s) Gonçalves, Susana; Salvador, Mário Rui; Quinaz Romana, Guilherme; Nunes, Baltazar
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents