Document details

Produção de sentido de modo cinematográfico: por favor ler antes de tocar numa câmara

Author(s): Barbosa, Paulo Alexandre Rosa Amorim

Date: 2012

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.21/3255

Origin: Repositório Científico do Instituto Politécnico de Lisboa

Subject(s): Produção de sentido; Montagem; Montagem vertical; Banda sonora; Linguagem não-verbal; Sentido implícito; Articulação entre planos


Description

Os limites inerentes à produção de sentido de modo cinematográfico nos discursos audiovisuais deriva dos conceitos não se deixarem filmar explicitamente Tese É possível produzir sentido conceptual através de modos não-verbais. Fundamentação Identificar e descrever como é que apesar das ideias não se deixarem filmar, existem formas de comunicação não-verbal que podem ser usadas no interior do discurso audiovisual e que permitem a produção de sentido conceptual complexo. Método 1º Identificar os limites da linguagem visual comparativamente à linguagem verbal 2º Apontar soluções no âmbito da linguagem corporal e o uso da roupa. A capacidade da narrativa ser portadora de significados implícitos para lá dos factos expostos recorrendo a Robert McKee e à noção de controlling idea e ao autor Robert Turner e a noção de parábola e projeção. Edição em continuidade e a representação do pensamento, e memórias dos personagens. Montagem e respetiva capacidade para criar metáforas, contrastes, negações e blending de conceitos. A montagem vertical e a capacidade do efeito Kuleshov também se aplicar á relação imagem / som. Relevância? Discursos audiovisuais que baseiam o respectivo significado na palavra não são necessariamente maus, mas são pobres no sentido que não usam as outras formas de produção de sentido próprias da linguagem cinematográfica.

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Mendes, João Maria
Contributor(s) Barbosa, Paulo Alexandre Rosa Amorim
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents