Document details

Comparação da implementação da rede TDT em frequência única e multifrequência

Author(s): Martins, Tiago Alexandre Simões

Date: 2013

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.21/3295

Origin: Repositório Científico do Instituto Politécnico de Lisboa

Subject(s): Rede TDT; Transmissão digital; Rede de frequência única


Description

Durante muitos anos as transmissões analógicas ocuparam grande parte do espetro eletromagnético que naturalmente ficou saturado. Com a divulgação da tecnologia Digital Video Broadcasting – Terrestrial, e a sua aplicação na transmissão digital, a Comissão Europeia pensando numa utilização mais eficiente do espectro radioelétrico, deliberou no sentido de que esta tecnologia fosse introduzida em todos os países da União Europeia, estabelecendo um prazo (até 2012) para o apagão da transmissão analógica. Em Portugal, o início da transição para a Televisão Digital Terrestre começou em Abril de 2009, tendo por base a tecnologia Digital Video Broadcasting – Terrestrial e a norma MPEG-4/ H.264, suportada por uma rede de frequência única, a qual viria a apresentar diversos problemas de interferência dada a variabilidade das condições de propagação. Durante todo o tempo de implementação da rede digital em Portugal que as queixas dos utilizadores se têm feito sentir, com particular relevância desde o apagão final da rede analógica. A Portugal Telecom que detém a licença de exploração da rede digital tem tentado corrigir os problemas da rede, mas é uma tarefa que parece não ter fim. Nesta dissertação são realizadas diversas simulações de predição da cobertura da rede digital e estudadas as causas prováveis dos problemas que se têm verificado, sendo apresentadas propostas para alteração do tipo de rede, de forma a melhorar a qualidade do serviço prestado. Uma proposta apresentada nesta dissertação passa por aproveitar a estrutura da rede existente e criar uma rede de frequência múltipla, aproveitando a configuração aprovada pela Autoridade Nacional de Comunicações em Março de 2013. Assim, Portugal Continental será dividido em 12 zonas, e cada zona terá um canal atribuído que corresponde a uma rede de frequência única distinta. Em cada zona é atribuído um canal diferente do atribuído às zonas contiguas, de forma a configurar uma rede de multifrequência. Esta configuração tem como desvantagem uma maior ocupação do espetro eletromagnético, comparativamente com a solução existente, no entanto elimina o problema da interferência.

Trabalho Final de Mestrado para obtenção do grau de Mestre em Engenharia de Electrónica e Telecomunicações

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Pinho, Pedro Renato Tavares
Contributor(s) Martins, Tiago Alexandre Simões
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents