Document details

The role of FDI in Indian growth and infrastructure development

Author(s): Mehta, Riken

Date: 2012

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10071/6429

Origin: Repositório do ISCTE-IUL

Subject(s): Foreign direct investment; Multinational corporations; Liberalisation; Infrastructure development; Investimento directo estrangeiro; Empresas multi-nacionais; Liberalização; Desenvolvimento de infra-estruturas


Description

India has seen significant changes in its foreign policy over the past 20 years. The 1991 balance of payment crisis allowed India to embrace international trade by inviting foreign direct investment (FDI) into various sectors within its economy. The significance of these changes has made India the second most attractive destination for FDI behind China. The increase in FDI in India has coincided with the government’s ability to change to a market-oriented economy. By opening its economy to international trade, India has seen a rise in the number of multinational corporations that have moved their operations from their home country. Infrastructure development has benefitted from these enormous changes, with various sectors, including telecommunications, ports and roads, seeing an increase in the number of projects being initiated through the involvement of foreign investors. This paper will aim to highlight the changes that India has gone through since 1991 in the liberalisation of its economy. Furthermore, it will demonstrate how India has grown both, socially and economically, through the encouragement of FDI, comparing the country’s performance to other emerging economies. Finally, it will show how FDI has helped to improve India’s infrastructure development programs, and the challenges the country still faces in providing a standard of living comparable to the developed world.

Nos últimos 20 anos, a Índia tem vindo a observar mudanças significativas a nível da sua política com o exterior. A crise de 1991 da balança de pagamentos permitiu de certa forma a abertura ao comércio internacional, em termos do Investimento Directo Estrangeiro (IDE). Desta forma, as significativas reformas tornaram a Índia o segundo país mais atractivo para o IDE, logo após a China. Por outro lado, o aumento do IDE na Índia coincide com a maior abertura do governo para uma Economia mais aberta, ou seja, mais orientada pelas leis do mercado. Ao abrir a sua Economia ao comércio internacional, observou-se um aumento na deslocação da produção de empresas multi-nacionais para a Índia. Assim, existiu um massivo desenvolimento a nível das infraestruturas locais, que beneficiaram com a produção estrangeira, tendo sido estes benefícios transversais a vários sectores, incluindo as telecomunicações, portos e estradas, que assim tiveram um aumento do número de projectos desde o envolvimento de capitais estrangeiros. Esta dissertação tem como objectivo destacar as principais mudanças pelas quais a Índia passou desde 1991, com a liberalização da sua Economia. Por outro lado, pretende demonstrar como a Índia se desenvolveu tanto a nível social como económico, através do incentivo ao IDE, através de uma comparação com o desempenho de outras economias emergentes. Finalmente, irá mostrar a influência do IDE no desenvolvimento de infra-estruturas, assim como terá em consideração os desafios que Índia continua a enfrentar em termos da qualidade e nível de vida, comparando com países desenvolvidos.

JEL Classification: O18, F21

Document Type Master thesis
Language English
Advisor(s) Esperança, José Paulo
Contributor(s) Mehta, Riken
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents