Document details

As chaves de Hiram: o agendamento dos media e o condicionamento da opinião pública na crise política de 2011

Author(s): Bizarro, Fernando José das Neves Martelo

Date: 2014

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10071/8982

Origin: Repositório do ISCTE-IUL

Subject(s): Informação; Manipulação; José Sócrates; Teoria de Agendamento; Espiral do Silêncio; Information; Manipulation; Agenda Setting; Spiral of Silence


Description

No dia 5 de fevereiro de 2012, o jornal “Público” publicou uma entrevista1 com a jornalista Judite de Sousa, conduzida por Anabela Mota Ribeiro. Nela, a diretora adjunta de informação da TVI, responde a várias questões levantadas pela entrevistadora, com destaque para a sua relação com os banqueiros portugueses. Em causa, estavam as entrevistas que protagonizou com os quatro principais responsáveis da banca portuguesa para o canal de televisão, 48 horas antes do então primeiro-ministro José Sócrates pedir ajuda financeira ao FMI. A forma clara e inequívoca, com que Judite de Sousa, confirma a intencionalidade das entrevistas, foi o ponto de partida para esta dissertação, a qual tem como premissas, duas linhas de pensamento que se complementam; A Teoria de Agendamento (Agenda Setting) e a “Espiral do Silêncio”. Em causa está uma das figuras políticas portuguesas mais carismáticas e que mais controvérsia tem gerado. De facto, a José Sócrates, não se pode ficar indiferente, ou se ama ou se odeia. Mas até que ponto, é que a comunicação social contribuiu para alimentar esta relação de amor/ódio? A manipulação dos media sempre existiu. Importa pois distinguir, entre uma ação concertada e aquela que deriva deste novo paradigma assente mais em lógicas economicistas, do que na nobre arte de informar. Entre 2005 e 2011, não foi apenas José Sócrates, que esteve debaixo de escrutínio. A comunicação social também foi analisada. Eis o resultado!

On February 5th, 2012, Portuguese newspaper "Público" published an interview with journalist Judite de Sousa, conducted by Anabela Mota Ribeiro. In it, the Deputy Information Director of Tv channel TVI, addresses several issues raised by the interviewer, with particular reference to its relationship with the Portuguese bankers. Concerned, the interviews were staged with the four main leaders of the Portuguese banking for the television channel TVI, 48 hours before the ex Prime Minister Jose Socrates ask for financial help from the IMF. The clear and unequivocal way how Judite de Sousa, confirms the intention of the interviews was the starting point for this dissertation, which has as premises, two lines of thought that are complementary; The “Theory of Scheduling” (Agenda Setting) and the "Spiral of Silence". The aim of this analysis is one of Portuguese’s most charismatic political figures, that has generated more controversy. In fact, no one can remain indifferent to Jose Socrates, love or hate him, there is no middle field. But is it possible that the media helped to feed this love / hate? The manipulation of the media always existed. It is therefore important to distinguish between any concerted action and that which derives from this new paradigm based more on an economistic way of leaving, than on the noble art of inform. Between 2005 and 2011, it was not only José Socrates, who was under scrutiny. The media was also analyzed. Here is the result!

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Silva, Rita Maria Espanha Pires Chaves Torrado da
Contributor(s) Bizarro, Fernando José das Neves Martelo
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents