Document details

Fellini, a lenda : O sonho é a única realidade

Author(s): Andrade, Ricardo Sousa

Date: 2009

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.12/4666

Origin: Repositório do ISPA - Instituto Universitário

Subject(s): Fellini; Jung; Cinema; Nachtraglichkeit; Sonhos; Dreams; Domínio/Área Científica::Ciências Sociais::Psicologia; Domínio/Área Científica::Ciências Sociais::Psicologia; Domínio/Área Científica::Ciências Sociais::Psicologia


Description

Neste trabalho procuro compreender a relação entre a vida e a obra do inimitável realizador italiano, Federico Fellini. Da análise realizada a diversos filmes e entrevistas de Fellini, realço a certeza que para Fellini, os seus sonhos são o reflexo mais profundo e verdadeiro da sua realidade. O universo onírico é o canal que medeia o contacto entre a vida e a obra do autor. A obra de Fellini reflecte a sua vida, e a sua vida alimenta, através dos sonhos, a sua obra. O regresso ao passado é um movimento constante na sua obra, confirmando a relação entre o cinema e a psicanálise através da lente que recupera, revisita e transforma o passado. O cinema, e particularmente os seus filmes, foram uma fonte reparadora dos traumas do seu passado, das fantasias da sua infância, dos desejos não concretizados, permitindo a Fellini construir a sua nova realidade. A descoberta de Jung e os frutos de uma relação terapêutica, não assumida, com o terapeuta Jungiano, o Dr. Ernst Bernhard, é a base que caracteriza a segunda fase da carreira de Fellini, a fase barroca, caracterizado pelo excesso. Através das suas memórias, Fellini revisita o seu passado. No tempo presente, a imaginação e a criatividade de Fellini fervilham em busca de um retrato simbólico do passado. O futuro, é o espaço que Fellini reservou para a sedimentação de uma lenda em torno de sua pessoa, e apenas nos sonhos, é que Fellini reunia em simultâneo o passado, o presente e o futuro.

In this thesis I seek to understand the relationship between the life and work of the inimitable Italian director Federico Fellini. Of the carried out analysis of Fellini’s various films and interviews I highlight the certainty that for Fellini, his dreams are the most deep and truest reflex of his reality. The “oniric” universe is the channel that mediates the contact between the life and the work of the author. Fellini’s work reflects his life, and, through his dreams, his life feeds his work. The return to the past is a constant movement in his work corroborating the relation between cinema and psychoanalysis, through the lens that rehabilitates revisits and transforms the past. Cinema, and particularly his films, was a repairing source of the traumas of his past, the fantasies of his childhood and of his unfulfilled wishes, allowing Fellini to build his new reality. The discovery of Jung and the benefits of an unassumed therapeutic relationship with the Jungian therapist Dr. Ernest Bernhard is the basis that characterizes the second phase of Fellini’s career, the baroque phase, characterized by excess. Through his memories, Fellini revisits his past. In the present time, Fellini’s imagination and creativity simmer in search of a symbolic portrait of the past. The future is a place reserved by Fellini for the creation of a legend, his legend, and only in dreams did Fellini unite past, present and future.

Dissertação de Mestrado apresentada no Instituto Superior de Psicologia Aplicada para obtenção do grau de Mestre na especialidade de Psicologia Clínica.

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Pereira, Frederico
Contributor(s) Andrade, Ricardo Sousa
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo