Document details

Envelhecimento ativo e caracteristicas de personalidade em idosos portugueses

Author(s): Santos, Inês Soreano dos

Date: 2013

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.14/17185

Origin: Veritati - Repositório Institucional da Universidade Católica Portuguesa

Subject(s): Envelhecimento; Envelhecimento Ativo; Personalidade; Aging; Active Aging; Personality


Description

Os estudos sobre idade adulta, a velhice e o processo de envelhecimento, têm vindo a adquirir um relevo e pertinência neste início do século vinte e um, devido à evolução demográfica que se assiste no mundo ocidental (Fonseca, 2006). Em Portugal, os Censos 2011 (INE, 2011) refletem um perfil demográfico caracterizado por um aumento da população mais idosa e pela diminuição da população mais jovem, motivada sobretudo pela diminuição da natalidade. Este presente estudo pretendeu testar empiricamente qual o perfil ao nível das características de personalidade em idosos que apresentam envelhecimento ativo de acordo com o modelo de envelhecimento ativo da WHO (2002), e os idosos que não apresentam esta condição. Realizando para tal um estudo quantitativo, utilizando o instrumento NEO (Bertoquini & Pais-Ribeiro, 2006), este é um instrumento que avalia as dimensões neuroticismo, extroversão e abertura à experiência. A amostra desta investigação é constituída por 89 indivíduos (N=89), dos quais 46 apresentam algum tipo de participação social, atividade profissional ou voluntariado, ou seja os idosos com envelhecimento ativo, os restantes 43 idosos com envelhecimento não ativo. A análise de resultados recolhidos permitiu verificar que os idosos com envelhecimento ativo têm valores de neuroticismo inferiores aos idosos com envelhecimento não ativo. No domínio extroversão, não se verificaram diferenças entre os dois grupos. Quanto ao domínio abertura à experiência os idosos que apresentam envelhecimento não ativo revelam valores mais elevados do que os idosos com envelhecimento ativo. Estes resultados permitem verificar a influência que as características de personalidade têm no envelhecimento ativo ou não ativo, principalmente no que respeita aos domínios neuroticismo e abertura à experiência.

Studies of adulthood, old age and the aging process, have gained prominence and importance in the early twenty-first century, due to demographic developments witnessed in the Western world (Fonseca, 2006). In Portugal, the Census of 2011 (INE, 2011) reflect a demographic profile characterized by an increase in the aging population and declining youth population, mainly due to a decrease in birth rates. The present study aimed to test empirically the profile in terms of personality characteristics in patients with active aging according to the model of active aging (WHO, 2002), and the elderly who do not have this condition. For this, we have made a quantitative study using the NEO instrument (Bertoquini and Pais-Ribeiro, 2006), it is an instrument that assesses the dimension neuroticism, extraversion and openness to experience. The sample of this research consists of 89 individuals (N = 89), 46 of which have some form of social participation, voluntary professional activity, ie older people with active aging and the outro 43 does not have any involvement social, that is, people do not active-aging. The data analysis showed that individuals with active aging have more lower levels of neuroticism than seniors with no active aging. In the extroversion field, there were no differences between the two groups. As regards openness to experience seniors who have no active aging revealing higher values than the elderly with active aging. These results allow us to determine the influence that personality characteristics have in aging active or not active, especially in regard to the areas neuroticism and openness to experience.

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Fonseca, António
Contributor(s) Santos, Inês Soreano dos
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents