Document details

Materialismo e idealismo na física do final do século XIX e início do século XX a partir de Materialismo e Empiriocriticismo de Lénine. O caso exemplar da interpretação bohriana da mecânica quântica

Author(s): Pato, Ana Henriques

Date: 2012

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10451/9485

Origin: Repositório da Universidade de Lisboa

Subject(s): Materialismo; Idealismo; Dialéctica; Mecânica quântica; Teses de mestrado - 2012


Description

Lenine expos e desenvolveu um conjunto de aspectos da teoria do conhecimento na sua obra Materialismo e Empiriocriticismo. Nela, o autor analisa o confronto entre as correntes materialistas e idealistas na ciência do seu tempo. Em particular, analisa aquilo a que chama “idealismo físico”, isto é a tendência de alguns físicos para interpretarem de forma idealista os resultados de um ramo das ciências. Lenine apontou como uma das razoes para a crise da física a negação do valor objectivo das suas teorias: “a matéria desaparece, restam apenas as equações”. O confronto entre estas duas linhas filosóficas fundamentais, o materialismo e o idealismo, permaneceu ao longo dos tempos. Para compreender as formas que esse confronto assume na ciência actual, estudar Materialismo e Empiriocriticismo e da maior relevância. Por todas estas razões, procede-se a uma recensão do conteúdo desta obra. Pretende-se, assim, expor as principais posições da teoria do conhecimento materialista e dialéctica para, então, melhor compreender a relação entre aquelas linhas filosóficas e a ciência de hoje. Verifica-se que a interpretação ortodoxa da mecânica quântica – tomada a partir dos textos de Bohr – esta profundamente marcada por tendências agnósticas e idealistas. Em particular, conclui-se que Bohr antepõe, como condição de possibilidade, uma correlação entre objecto e instrumento de medida que e, no fundo – para além de um limite epistemológico inultrapassável –, a negação da independência ontológica do ser face a pratica (do ente quântico face a experiencia): trata-se de um “idealismo da praxis”. Conclui-se que Bohr não pode resolver o problema central da mecânica quântica, o dualismo onda-corpúsculo, porque não considerou dialecticamente a unidade e a contradição do ser, acabando por “desmaterializar” a teoria, negando assim a teoria científica como reflexo aproximadamente verdadeiro da realidade objectiva – o que é uma condição de cientificidade.

Lenin expounded and developed a number of aspects of the theory of knowledge in his work Materialism and Empirio-Criticism. In it, the author analyzes the confrontation between materialism and idealism in the science of his time. In particular, he examines what he calls "physical idealism", ie, the tendency of some physicists to interpret in a idealistic fashion the results of a branch of science. Lenin pointed out as one of the reasons for the crisis of physics the denial of the objective value of its theories: "matter disappears, there remain only the equations. The confrontation between these two fundamental philosophical lines, materialism and idealism, remained throughout the ages. To understand the ways that this confrontation takes on science today, to study Materialism and Empirio-Criticism is of utmost importance. For all these reasons, I proceed to a recension of the content of this book. The aim is thus to disclose the main positions of the dialectical materialist theory of knowledge and therefore to better understand the relationship between those philosophical lines and science nowadays. I verify that the orthodox interpretation of quantum mechanics – as it is given by Bohr's writings – is deeply marked by idealistic and agnostic tendencies. In particular, I conclude that Bohr gives the precedency, as a condition of possibility, to a correlation between object and measuring instrument that is, essentially – and beyond being an insurmountable epistemological limit –, the denial of the ontological independence of the being in relation to practice (of the quantum entity in relation to the experience): this is an “idealism of praxis”. I conclude that Bohr could not solve the central problem of quantum mechanics, the wave-corpuscle dualism, because he did not consider the dialectical unity and contradiction of the being, ultimately "dematerializing" the theory, thus denying the scientific theory as a true reflection of objective reality – which is a condition of scientificity.

Tese de mestrado em História e Filosofia das Ciências, apresentada à Universidade de Lisboa, através da Faculdade de Ciências, 2012

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Pombo, Olga, 1946-
Contributor(s) Pato, Ana Henriques
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents