Document details

Amoreiras e a sétima colina - de arrabalde a centralidade icónica

Author(s): Garcia, Joana da Silva Carvalho, 1989-

Date: 2016

Persistent ID: http://hdl.handle.net/11067/1835

Origin: Lusíada - Repositório das Universidades Lusíada

Subject(s): Centros comerciais - Portugal - Lisboa; Centro Comercial das Amoreiras (Lisboa, Portugal); Taveira, Tomás, 1938- - - Crítica e interpretação; Lisboa (Portugal) - Edifícios, estruturas, etc.; Lisboa (Portugal) - História


Description

O Complexo Amoreiras foi um marco, um ícone, um exemplo de arquitetura pós-moderna portuguesa que representou fielmente o espírito vivido na década de 80 na capital. Lisboa integrou o edifício na sua silhueta fazendo hoje parte da sua paisagem. Um edifício controverso e alvo de críticas que descentralizou o comércio do centro de Lisboa (Baixa Pombalina) deslocando-o para o topo da colina. Forma-se assim uma nova centralidade, um novo centro que desenvolve Campolide e, consequentemente, Lisboa. Nascido num lugar sem planeamento urbano, o Amoreiras respeita a sobreposição de histórias passadas e pré-existências do mesmo, comunicando com a cidade e com o individuo. Vivemos nos anos 80, década do pós-moderno, onde o arquiteto Tomás Taveira se destaca enquanto seu impulsionador. Através da cor, da luz, das formas, de reminiscências clássicas, dos média e da publicidade, da irreverência... Taveira faz com que as suas obras discursem com a cidade – Arquitetura Falante. Entramos num período controverso no que respeita à passagem do moderno para o pós-moderno onde a arquitetura pretende interagir de forma mais invasiva com o Homem, conduzindo-o através das suas mensagens.

Dissertação de mestrado integrado em Arquitectura, Universidade Lusíada de Lisboa, 2015

Exame público realizado em 20 de Janeiro de 2016

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Bonifácio, Horácio, 1951-
Contributor(s) Garcia, Joana da Silva Carvalho, 1989-
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents