Document details

A consolidação de contas - património de grupos empresariais : caso de estudo grupo português com subsidiárias nos PALOP

Author(s): Rabaça, Brasiliano Correia, 1955-

Date: 2016

Persistent ID: http://hdl.handle.net/11067/2541

Origin: Lusíada - Repositório das Universidades Lusíada

Subject(s): Demonstrações financeiras consolidadas; Demonstrações financeiras - Normas; Empresas multinacionais - Contabilidade


Description

O crescimento das empresas pode obter-se com o seu próprio desenvolvimento ou recorrendo à criação/aquisição de outras empresas, subordinadas à sua direção estratégica. Com a evolução das sociedades, surgiu a necessidade de tornar sustentáveis as empresas, em permanente competitividade, com as exigências de transparência pelos mercados financeiros e em contexto de uma cada vez mais intensa internacionalização das empresas. Por tudo isso, é muito importante ter a maior transparência nas contas prestadas, através de contabilidade organizada, auditada e/ou certificada, que obedeça ao normativo da prestação de contas. A constituição de um grupo de empresas, realiza-se através do controlo exercido em empresas criadas ou adquiridas. Se as empresas são obrigadas, individualmente, à prestação de contas periódica, também o grupo o tem de fazer, igualmente. Para a prestação de contas de um grupo, recorre-se à consolidação de contas, que mais não é do que uma técnica contabilística que apresenta as contas agregadas de um grupo de empresas. É o grupo quem apresenta contas, apesar de ela ser feita, também, individualmente. O presente estudo trata a consolidação das contas de 2015 do Grupo Secular, cujo desenvolvimento será analisado, comparativamente, com os valores observados em 2013 e em 2014, permitindo perceber a sua evolução patrimonial, económica e financeira, nesse triénio. O tema desta dissertação cingir-se-á a tal temática, no desenvolvimento dos conceitos associados, da normalização e da prestação de contas, bem como os procedimentos e os métodos a utilizar para alcançar a imagem económica e financeira verdadeira, neutra e fiável. Esta dissertação contém sete capítulos no seu corpo. Inicia-se a partir da pergunta que vai nortear todo o trabalho: “Na consolidação de contas deve respeitar-se, unicamente, o expresso nas normas que a regem ou existem razões geradoras de graus de liberdade para o não fazer?”, encorpada com perguntas derivadas que formam o conjunto de dúvidas metódicas sobre o estudo. Procuram-se respostas, para o qual se elabora a estrutura metodológica a desenvolver e, recorrendo a toda a espécie de suportes bibliográficos, efetuam-se as revisões do normativo contabilístico existente ou em mudança, da prestação de contas e, ainda, sobre a consolidação de contas, onde se apresentam os conceitos associados à temática e se prepara a operacionalização do caso de estudo. Fazendo a sua consolidação de contas, o que permite uma análise desenvolvida e profunda sobre si próprio, encontram-se os elementos que permitem chegar às conclusões, propiciando, também, o elaborar das sugestões e das recomendações a fazer ao Grupo Secular. A conclusão final é a de que existem razões geradoras de graus de liberdade na consolidação de contas deste grupo, considerando que a única razão para tal se assumir é a de produzir informação financeira normalizada sobre a atividade e património do grupo, mensurada com fiabilidade, transparência e respeito pelo interesse dos seus utentes.

Dissertação de mestrado em Gestão, Universidade Lusíada de Lisboa, 2016

Exame público realizado em 27 de Julho de 2016

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Coelho, Maria Manuela Martins Saraiva Sarmento, 1952-
Contributor(s) Rabaça, Brasiliano Correia, 1955-
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents