Document details

O esforço no antebraço associado à vibração e à utilização de luvas anti-vibratórias

Author(s): Roque, Bernardo d'Orey Botelho Simões

Date: 2013

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10362/10399

Origin: Repositório Institucional da UNL

Subject(s): Eletromiografia de superfície; Antebraço; Força-sinal eletromiográfico; Atividades de preensão manual; Vibração


Description

O objetivo desta dissertação é de analisar, em contexto simulado de trabalho, os níveis do Sinal Eletromiográfico (SEMG) no antebraço, associados: (1) à vibração de ferramentas profissionais de corte e, (2) à utilização de luvas anti-vibratórias, comparando o SEMG registado nos ensaios sem luvas e utilizando quatro luvas anti-vibratórias distintas. Através da técnica de Eletromiografia de Superfície (sEMG), foi registada a atividade muscular em quatro músculos do antebraço: flexor carpi radialis (FCR), flexor digitorum superficialis (FDS), extensor carpi ulnaris (ECU) e extensor digitorum (ED). Foram simulados dois centros de trabalho (CT), cada um utilizando uma das ferramentas profissionais de corte, multicutter e reciprocating saw, e realizados sete ensaios em cada um dos CTs por quarenta operadores. Cada operador realizou cinco ensaios em corte e dois em vazio, durante um período contínuo de 20 segundos, utilizando a mão dominante. O sinal eletromiográfico foi normalizado pelo teste de contração isométrica máxima (MVE) e foram comparados os resultados de cada tarefa operada por diferentes individuos. Verificou-se que, nos ensaios com as ferramentas em vazio, ou seja, com o operador sem luvas e sem cortar o material, a vibração produzida pelas ferramentas em funcionamento (ON) aumenta o esforço no antebraço entre duas e cinco vezes, relativamente ao esforço com a ferramenta desligada (OFF); que de um modo geral, a utilização de luvas anti-vibratórias em tarefas de preensão manual não influência o esforço no antebraço; e que com as ferramentas em funcionamento (ON), o esforço no antebraço nas operações individuais de corte é significativamente superior (≈ 12% MVE) ao esforço nos ensaios em vazio, sem cortar o material (p<0,05). Os músculos mais ativados durante esta investigação foram o FDS (≈ 34% MVE) e o ECU (≈ 28% MVE), pelo que devem ser os músculos alvo para futuros trabalhos de avaliação biomecânica utilizando estas ferramentas.

Dissertação para obtenção do grau de Mestre em Engenharia e Gestão Industrial

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Cabeças, José
Contributor(s) Roque, Bernardo d'Orey Botelho Simões
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents