Document details

Determinantes sociais das desigualdades na saúde dos portugueses: estudo ao nível dos municípios

Author(s): COSTA, Maria João Barbosa Berhan da

Date: 2013

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10362/16762

Origin: Repositório Institucional da UNL

Subject(s): Saúde pública; Questões sociais; Mortalidade; Domínio/Área Científica::Ciências Médicas; Domínio/Área Científica::Ciências Médicas; Domínio/Área Científica::Ciências Médicas


Description

Antecedentes: As desigualdades na saúde estão associadas às desigualdades socioeconómicas, o que está demonstrado em farta literatura seja em comparações entre países, seja em comparações de populações e grupos sociais dentro dos países, evidenciando-se o triângulo fundamental riqueza-educação-saúde. Objectivos: Analisar a relação existente entre a mortalidade prematura da população nos municípios portugueses e alguns determinantes socioeconómicos Metodologia: Estudo ecológico transversal, utilizando indicadores publicados pelo INE para os 308 Municípios portugueses. Mediu-se a desigualdade das variáveis pelo rácio entre decis extremos (D10/D1) e testaram-se as associações existentes entre a mortalidade prematura e indicadores de rendimento, de educação e de desigualdade social pela correlação de ordem de Spearman. Resultados: Os resultados revelam que existe desigualdade entre municípios para todas as variáveis estudadas. Entre o nível de educação e o rendimento e entre estes e a mortalidade prematura foram encontradas correlações estatisticamente significativas (p<0,01 e p<0,05) e de sinal consistente com as hipóteses colocadas de que a mortalidade varia inversamente com o nível de rendimento e com o nível de educação. A educação é a variável com maior efeito na mortalidade prematura, em especial sobre a mortalidade abaixo dos 65 anos, resistente ao controle do rendimento. A dimensão da população parece ter um efeito sobre todas as outras variáveis.

Background: Inequalities in health are related with socioeconomic inequalities as has been described at many levels: between individuals, neighbourhoods, socio-economic groups, regions, countries and entire continents. A vast literature brings evidence to the fundamental triangle formed by wealth, education and health. Objectives: to describe and analyse the relations between population premature mortality and social determinants in portuguese counties. Methods: Ecological cross sectional study based on indicators officially published by the National Statistics Institute on the 308 portuguese counties. Inequality has been measured by ratios between extreme deciles and the relation between premature mortality and indicators of income, education and social inequality has been tested by Spearman’s Rank Correlation Coefficient. Results: Inequality between counties has been found for all the selected variables. Significant correlations (p<0.01 or p<0,05) were found between education and income level and between these and premature mortality (<50 and <65 years) and the correlation direction consistent with our hypothesis that premature mortality has a negative relationship with education and income. Education level is the variable with the strongest relationship with premature mortality, resistant to the control of income. The dimension (in population) of the county seem to have some effect on all other variables. Conclusions: Population health depends on socioeconomic determinants that fall out of direct action of health services and that have to be target of political and social measures. It is possible to use routine published data to know local reality.

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Advisor(s) CABRAL, Jorge; MARTINS, Maria do Rosário Oliveira
Contributor(s) COSTA, Maria João Barbosa Berhan da
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents