Document details

Remoção de compostos farmacêuticos persistentes das águas efeitos no ambiente e na saúde humana

Author(s): Roque, Ana Luísa Rei Rodrigues

Date: 2009

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10362/3339

Origin: Repositório Institucional da UNL

Subject(s): Ácido clofíbrico; Carbamazepina; Diclofenac; Eficiência de remoção; Ozonização


Description

Apesar da concentração dos compostos farmacêuticos no meio hídrico ser vestigial, a sua continuada introdução poderá, a longo prazo, constituir um potencial risco tanto para organismos aquáticos, como para o Homem. Deste modo, a preocupação relativa à presença destas substâncias tóxicas no ambiente tem vindo a aumentar desde o início dos anos noventa, bem como a necessidade em avaliar os riscos inerentes. Estes compostos não são completamente degradados pelo organismo humano, sendo excretados nas fezes e na urina sob a forma inalterada ou sob a forma de metabolitos. Por conseguinte, e pelo facto de muitos destes compostos serem sujeitos a eliminações inadequadas (como é no caso das instalações sanitárias), são descarregados no meio hídrico por via das estações de tratamento de águas residuais, caso estas não estejam munidas de sistemas adequados à remoção destes compostos. Desta forma, e dada a sua elevada persistência, diversos compostos farmacêuticos pertencentes a diferentes classes têm sido detectados no ambiente. Neste trabalho são avaliados os potenciais efeitos da presença de três compostos farmacêuticos no meio hídrico (carbamazepina, diclofenac e ácido clofíbrico), bem como a eficiência de remoção face a diferentes sistemas de tratamento de águas residuais. Verifica-se que a carbamazepina, o diclofenac e o ácido clofíbrico apresentam toxicidade crónica e aguda, reforçando a necessidade da existência de um sistema de tratamento suficientemente eficaz na remoção destes compostos das águas e águas residuais. De entre os vários processos de tratamento analisados constata-se que a ozonização, os processos avançados de oxidação, a osmose inversa e o carvão activado são aqueles que apresentam uma maior remoção da carbamazepina (>98%) e do diclofenac (>85%), face aos restantes processos. Em relação ao ácido clofíbrico, este foi removido de forma mais eficiente pelos processos de ozonização, processos avançados de oxidação, osmose inversa e leitos de macrófitas, com eficiências de remoção superiores a 80%. Com o presente estudo constatou-se que o processo de ozonização parece ser o processo mais adequado para a remoção completa dos três fármacos analisados, revelando-se a melhor tecnologia para a remoção destes compostos das águas. Assim, sugere-se a necessidade de estudar à escala laboratorial, potenciais sequências de operações e processos unitários que permitam a maximização da remoção da carbamazepina,diclofenac e ácido clofíbrico. Isto de forma a garantir a minimização da sua presença no meio hídrico, contribuindo de forma mais eficaz para a diminuição dos potenciais riscos para o ambiente e para a saúde humana.

Dissertação apresentada na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa para a obtenção do grau de Mestre em Engenharia do Ambiente, perfil Engenharia Sanitária

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Almeida, Maria
Contributor(s) Roque, Ana Luísa Rei Rodrigues
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents