Document details

Estereótipos sobre idosos : representação social em profissionais que trabalham com a terceira idade

Author(s): Neves, Carolina Filipa Ornelas

Date: 2012

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.6/1207

Origin: uBibliorum

Subject(s): Idosos - Estereótipos; Envelhecimento - Representações sociais; Envelhecimento - Aspectos sociais; Idosos - Institucionalização; Idosos - Profissionais cuidadores


Description

Introdução: Têm surgido diversas abordagens sobre o processo de envelhecimento porém, independentemente dessas abordagens, as representações sociais sobre envelhecimento estão, na sua maioria, conotadas por atribuições negativas. Nestas, o idoso surge associado a adjetivos como frágil, dependente, pobre, assexuado, infantil, esquecido e associado a doença, senilidade, demência, pobreza, fealdade e a outras ideias estereotipadas. Nesta perspetiva, torna-se fundamental conhecer quais as atitudes e conhecimentos que os profissionais que trabalham no dia-a-dia com idosos, adotam, de modo a perceber se os estereótipos que a sociedade possui em relação à velhice se refletem, ou não, na prestação de serviços. Objetivo: O objetivo deste trabalho é conhecer as atitudes e conhecimentos dos profissionais que trabalham com idosos, bem como identificar variáveis associadas. Metodologia: Trata-se de um estudo descritivo, transversal e de natureza quantitativa que utilizou uma amostra por conveniência, constituída por 56 profissionais a trabalhar em Instituições para Idosos. O instrumento de recolha de dados integra um questionário sociodemográfico e profissional, o Questionário de Avaliação de Conhecimentos em relação à Velhice e a Escala de OP de Kogan – Atitudes face aos idosos. Para o tratamento estatístico foi utilizado o programa SPSS versão 17. Resultados: A população estudada é maioritariamente feminina, solteira, com uma média de idades de 31,8 anos e com licenciatura (77,2%). Verificou-se ainda que, a maioria dos profissionais não têm formação em gerontologia (80,7%), possuem fracos conhecimentos (57,1%) sobre os idosos e apresentam atitudes neutras face aos mesmos. Os dados revelam associações significativas entre o sexo e as atitudes dos profissionais face aos idosos nos fatores “Sentimentos Experienciados” e “Relações entre gerações”; entre o estado civil, tempo de serviço e o fator “Dependência”; entre a presença de idosos no agregado familiar e o fator “Sentimentos Experienciados”; entre os conhecimentos e as atitudes no fator “Outros Fatores”. Conclusão: As evidências encontradas neste estudo convidam-nos para a elaboração e reflexão sobre novas estratégias, que facilitem o desenho de programas de intervenção formativos e informativos, visando o aumento de formatação na área de gerontologia dos profissionais, promovendo e adoptando a incrementação de atitudes positivas destes relativamente aos idosos.

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Contributor(s) Neves, Carolina Filipa Ornelas
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents