Document details

Modelos esquemáticos do olho em função da idade : estudo comparativo

Author(s): Pais, Daniela Filipa Fidalgo

Date: 2013

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.6/1495

Origin: uBibliorum

Subject(s): Olho - Modelos esquemáticos; Olho - Envelhecimento - Aspectos biométricos; Olho - Envelhecimento - Aspectos óticos; Aberrações oculares


Description

Desde que foram introduzidos no século XIX, os modelos esquemáticos do olho tem evoluído bastante e hoje em dia é possível encontrar na literatura uma grande variedade de modelos. Temos ao nosso dispor modelos esquemáticos reduzidos ou anatómicos, monocromáticos ou policromáticos, paraxiais ou finitos, com ou sem acomodação, que incorporam cristalino com índice de refração homogéneo ou com distribuição gradual do mesmo e também modelos esquemáticos variantes com a idade. Estes possuem diversas aplicações tais como o design de lentes intraoculares, lentes de contacto e lentes oftálmicas bem como a previsão de resultados de ortoqueratologia e de cirurgias refrativas ou implante de lentes intraoculares. A evolução das técnicas biométricas tem vindo a revelar a forma como o olho humano se modifica com a idade. Contudo, apesar de haver uma grande variedade de modelos esquemáticos baseados numa população genérica poucos são descritos na literatura em função da idade. Assim, o seu estudo em função da idade é cada vez mais importante numa sociedade em que o envelhecimento da população é um facto incontornável. Ao longo deste trabalho é feita uma breve descrição das alterações do olho humano relacionadas com a idade, da história e da evolução dos modelos esquemáticos do olho. A realização deste estudo tem como objetivo comparar modelos esquemáticos do olho adequados a diferentes idades, com o auxílio do software de cálculo de sistemas óticos OSLO Premium. Desta forma procedeu-se à análise de três modelos propostos por: Atchison, Smith e Diáz. Efetuou-se então a análise de alguns descritores da qualidade de imagem, como a função transferência de modulação e as aberrações de frente de onda, cujos resultados foram comparados com dados experimentais para uma população normal. No final desta análise, concluiu-se que o modelo esquemático apresentado por Diáz é o que melhor representa as variações óticas com a idade, sendo também o mais preciso e anatomicamente rigoroso.

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Contributor(s) Pais, Daniela Filipa Fidalgo
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents